Encontros e percursos de professoras militantes: Hildézia de Medeiros e Dodora Mota

Lia Ciomar Macedo de Faria, Thaís Rodrigues Martins

Resumo


O artigo se propõe a analisar os trajetos de vida de Hildézia Alves de Medeiros e Maria das Dores Pereira Mota, com o objetivo de perscrutar seus processos de formação inicial, o encontro entre ambas e sua repercussão em seus caminhos. A temática abordada — trajetória e formação de docentes engajadas — propõe como questão a necessidade de conhecer essa dimensão da trajetória de mulheres professoras para compreender como se forjaram suas concepções e atuação em prol da educação pública, bem como se constitui como contribuição para pensar os dilemas atuais através de olhares sobre percursos formativos de professoras militantes. Importantes lideranças sindicais do SEPE, Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação, e professoras das Redes Públicas de Ensino no Estado do Rio de Janeiro, ambas tiveram atuação fundamental na luta pela democratização da educação pública. Considerando como perspectiva metodológica a história oral, foram utilizadas como fontes principais entrevistas realizadas no contexto de projetos e debates desenvolvidos por nosso laboratório de pesquisa, que vem coletando e sistematizando memórias no intuito de aprofundar estudos sobre trajetórias de docentes e lideranças sindicais do magistério do Estado do Rio de Janeiro. Revisitar as memórias e processos de formação e autoformação dessas mulheres, compreender sua atuação militante e sua opção de vida comprometida com a transformação social e a construção democrática, mesmo em tempos de ditadura civil-militar, contribui significativamente para pensar a superação dos desafios e retrocessos dos tempos pandêmicos atuais.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.067.DS12

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat