Fluência Tecnológico-Pedagógica na Docência Universitária

Daniele da Rocha Schneider, Rogério Tubias Schraiber, Elena Maria Mallmann

Resumo


 A docência na Educação Superior exige uma multiplicidade de habilidades do professor frente aos contextos emergentes que vem alterando os modelos tradicionais de ensino-aprendizagem. Nesse sentido, o artigo destaca a Fluência Tecnológico-Pedagógica como um desafio à Docência Universitária. Tem como objetivo analisar a Fluência Tecnológico-Pedagógica de professores em um curso de formação continuada, “REA: Educação para o Futuro”, ofertado através de Small Open Online Course a professores e servidores da rede pública do ensino básico do estado do Rio Grande do Sul. Para tanto, resgata-se a base teórica que sustenta o conceito, problematizando seus desdobramentos nas inter-relações didáticas do trabalho do professor. A delimitação, organização e análise dos dados foi realizada a partir da orientação metodológica da pesquisa-ação por meio de três matrizes: Matriz Dialógico-Problematizadora (MDP), Matriz Temático-Organizadora (MTO) e Matriz Temático-Analítica (MTA). Os resultados apontam que o conjunto de saberes e práticas pedagógicas inerentes à docência na Educação Superior são viabilizados pelo desenvolvimento de Fluência Tecnológico-Pedagógica. O professor fluente avança para níveis de reflexão, análise e produção de conhecimento mais profundos em relação às ações de planejamento, organização de metodologias e estratégias didáticas, avaliação e interações entre os participantes. Conclui-se que maior Fluência Tecnológico-Pedagógica dos professores reverte em qualidade no processo ensino-aprendizagem.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.067.AO05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat