Impactos da Lei Orgânica de 1946 na trajetória de normalistas: um estudo de História Oral Temática

Lorene dos Santos, Maria Angela Barros de Carvalho

Resumo


Este texto discute os possíveis impactos da Lei Orgânica do Ensino Normal, promulgada em 1946, na formação e trajetória profissional de normalistas, reunindo evidências sobre algumas das transformações operadas no status da formação docente a partir da nova legislação. Utilizando-se a metodologia da História Oral Temática, foram entrevistadas oito mulheres, com idade entre 84 e 92 anos, que na década de 1940 cursavam magistério em uma escola normal religiosa do município de Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais. Buscou-se realizar o cruzamento de diversas fontes, incluindo documentos e outros registros escritos, imagens, textos bibliográficos e narrativas orais, recolhidas junto às entrevistadas e em diferentes arquivos institucionais e acervos pessoais. As análises feitas levaram em conta os contextos sociopolíticos da época em diálogo com a História da Educação, especialmente os estudos sobre legislação educacional, história da formação docente e das instituições escolares. Os achados da pesquisa confirmam a existência de impactos causados pela legislação estudada na trajetória de formação e vida profissional das ex-normalistas, possibilitando compreender dimensões da identidade de um grupo de mulheres e alguns aspectos do currículo vivenciados por elas durante o curso normal. A investigação busca evidenciar como grandes eventos surgidos no macroespaço político e social, como é o caso da legislação de 1946, repercutem no microespaço social, fazendo ecoar as vozes de mulheres octogenárias, cujas memórias seriam condenadas ao silêncio e esquecimento, não fosse a possibilidade de escuta e registro proporcionada pela História Oral.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.064.AO09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat