O protagonismo da mulher no suplemento feminino do jornal O Estado de S. Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.067.AO01

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o modo como o Suplemento Feminino do jornal O Estado de S. Paulo propagava ideais que contribuíram para mobilizar as mulheres paulistas a apoiarem o Golpe Civil-Militar de 1964 sem, contudo, alterar seu papel no meio familiar e social. Investiga-se a postura adotada por esse suplemento em relação à questão política na primeira metade da década de 1960; para isto, são estudados textos e propagandas publicados entre os anos de 1960 e 1964. A hipótese é a de que as matérias publicadas pelo Suplemento Feminino deste jornal expressavam opiniões com o intuito de justificar a necessidade da intervenção militar, bem como convencer o seu público de que as atitudes dos grupos militares eram necessárias para a manutenção dos princípios democráticos no país. Neste sentido, entende-se que o discurso veiculado pelo Suplemento Feminino era duplamente ideológico: ao mesmo tempo que dava voz às mulheres  nas decisões políticas, construindo um sujeito político feminino, procurava convencê-las de que o seu lugar se restringia ao lar, espaço em que desempenharia a função de protetora do lar, da família e da pátria, ou seja, reiterava o papel submisso da mulher na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gizeli Fermino Coelho, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Participa no Grupo de Pesquisas e Estudos História da Educação, Intelectuais e Instituições Escolares. E-mail: [email protected]

Raquel dos Santos Quadros, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) - Campus Apucarana

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá - (UEM), vinculada a linha de História da Educação. Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá – (UEM). Graduada em Pedagogia pela Universidade do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e Graduada em História pela Universidade Paranaense (UNIPAR).  Professora colaboradora da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) – Campus: Apucarana, Departamento de Pedagogia. Area: Educação. E-mail: [email protected]

Maria Cristina Gomes Machado, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Coordenadora do Grupo de Pesquisas e Estudos História da Educação, Intelectuais e Instituições Escolares. Bolsista Produtividade CNPq-1C. Departamento de Fundamentos da Educação. Area Educação.E-mail: [email protected].

Resumo da Biografia

Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Coordenadora do Grupo de Pesquisas e Estudos História da Educação, Intelectuais e Instituições Escolares. Bolsista Produtividade CNPq-1C. Departamento de Fundamentos da Educação. Area Educação.E-mail: [email protected].

Downloads

Publicado

2020-11-04

Como Citar

Coelho, G. F., Quadros, R. dos S., & Machado, M. C. G. (2020). O protagonismo da mulher no suplemento feminino do jornal O Estado de S. Paulo. Revista Diálogo Educacional, 20(67). https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.067.AO01