Vestígios memorialísticos de Anísio Teixeira: interlocuções com a educação jesuítica no início do século XX

Sheila Cristina Monteiro Matos, Carlos Ângelo de Meneses Sousa

Resumo


Este trabalho resgata e analisa os vestígios e interlocuções advindos da influência jesuítica do percurso formativo de Anísio Teixeira na Bahia, a partir de uma abordagem qualitativa e de cunho memorialista. A pesquisa priorizou a análise de discursos e de fontes documentais. Estudando a vida pública e os fazimentos de Anísio Teixeira, rememora-se o seu legado na proposta de um modelo educacional sem privilégios, destinada democraticamente para todos, com destaque para o Movimento Escolanovista e a criação de escolas de tempo integral, em Salvador e em Brasília. Observa-se que um dos modelos propostos em sua vida pública, as escolas de tempo integral, inspira-se naquele que Anísio vivenciou durante sua educação básica, em colégios jesuítas baianos, com destaque para o desenvolvimento das faculdades intelectuais, morais, sociais e físicas dos alunos. Sua vivência com pragmatistas e escolanovistas, tanto no Brasil quanto no exterior, cimentou uma concepção, tida como liberal, de uma Educação Integral laica para todos, não focada em filhos da elite, que, tradicionalmente, estavam presentes nos colégios jesuítas. Vale ressaltar que, durante as investigações, observamos um apagamento desse período jesuítico da memória anisiana, estigmatizado, inclusive, como indiferente, porém importante para a elucidação de questões que pairam na roda do pensamento educacional brasileiro.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.20.064.AO03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Editora Universitária Champagnat