Groups of interlocution as a technique of productionand sistematization on Education research

Liliana Soares Ferreira, Bruna Pereira Alves Fiorin, Cláudia Letícia de Castro do Amaral, Mariglei Severo Maraschin

Resumo


This article discusses research on education nowadays, based on a critical perspective of reality, considering the use of interlocution groups as a suitable technique to that. In educational field, researches becomes formal, a pedagogical action; whose aims reveal the institution and researcher’s intention. The interlocution group is presented as an interaction moment between the researcher and the researched individuals in order to socialize the results of the study and to discuss about those data and about issues that need clarification. Through language, each research individual presents his/her conceptions, influenced by his/her experiences, but since this moment of dialogue and interaction, they will be able to socialize and discuss the theme with individuals which possibly have something in common with the rest of the group due to their proximity with the developing research. It considers that groups of interlocution are more than data collection, presentation or quantification; it is a moment of problematization about the research.


Texto completo:

PDF

Referências


CINDRA, J. L. A Física e as Leis da Dialética. Revista Brasileira de Ensino de Física. v. 20, n. 2, jun. 1998.

ENGELS, F. A dialética da Natureza. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

ENGELS, F. Ciência da Lógica: excertos. Trad. Marco Aurélio Werle. São Paulo: Editora Barcarolla, 2011.

FERREIRA, L. S. Trabalho, profissionalidade e escola no discurso das professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. 2006. 293 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

FERREIRA, L. S. Gestão do Pedagógico: de qual pedagógico se fala? Currículo sem Fronteiras, v. 8, n. 2, p. 176-189, jul./dez. 2008.

FERREIRA, L. S. Pedagogia como ciência da educação: retomando uma discussão necessária. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, v. 91, n. 227, p. 233-251, jan./abr. 2010.

FIORIN, B. P. A. Trabalho e pedagogia: considerações a partir dos discursos de pedagogas na escola. 2012. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

FRIGOTTO, G. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. In: FRIGOTTO, G. Educação e crise do trabalho: perspectivas do final do século. Petrópolis: Vozes, 1998.

GADAMER, H-G. Verdade e Método II. Complementos e índice. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

GATTI, B. A. Formação de grupos e redes de intercâmbio em pesquisa educacional: dialogia e qualidade. Revista Brasileira de Educação, n. 30, p. 124-181, set./dez. 2005.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

KUENZER, A. Desafios teórico-metodológicos da relação trabalho-educação e o papel social da escola. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 11. ed. Petropolis: Vozes, 2012. p. 55-75.

MARQUES, M. O. Educação/interlocução, aprendizagem/reconstrução de saberes. Ijuí: Editora Unijuí, 1996.

MINAYO, M. C. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

PALMER, R. E. Hermenêutica. Trad. Maria L. R. Ferreira. Lisboa: Edições 70, 1999.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

TRIVIÑOS, A. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

VIEIRA PINTO, A. Ciência e existência: problemas filosóficos da pesquisa científica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

WERLE, F. Pós-Graduação e suas interlocuções com a Educação Básica. Educação, v. 35, n. 3. p. 424-433, set./dez. 2012.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v14i41.2335

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat