As culturas da infância no trabalho docente da Educação Infantil

Márcia Regina Canhoto de Lima, José Milton de Lima

Resumo


Este artigo retrata resultados de uma pesquisa sobre as culturas da infância desenvolvida em uma instituição de Educação Infantil. Teve como objetivo central investigar como são trabalhados os quatro eixos das culturas infantis: interatividade, ludicidade, fantasia do real e reiteração. A metodologia, de natureza qualitativa, caracterizou-se como pesquisa-ação. Quanto aos resultados alcançados, destacamos a própria metodologia, que exigiu a participação dos sujeitos da instituição parceira, a atuação da equipe universitária no contexto investigado e a busca de transformação da realidade. Tais requisitos ampliaram as exigências de comprometimento, respeito mútuo, trabalho coletivo e tolerância entre os atores sociais de distintas instituições. As situações de estudos, discussão e intervenção geraram embates entre concepções e indicaram olhares diferentes para a criança e para a prática educativa. Ressaltamos, também, as influências no trabalho pedagógico, pois foi constatado que as educadoras ampliaram e atualizaram suas concepções, principalmente no que se refere à educação para a infância e à importância das atividades lúdicas como um eixo das culturas da infância. No diagnóstico, verificamos que cobravam comportamentos muito rígidos, os quais se transformavam em empecilhos para as atividades peculiaresdas crianças. A ampliação da compreensão sobre o tema fez com que as educadoras relacionassem os quatro eixos das culturas da infância entre si e percebessem a necessidade de sua atuação como mediadoras e responsáveis por condições que garantam às crianças a participação, como protagonistas, e o direito a uma educação que respeite as especificidades infantis

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1981.

KUHLMANN JÚNIOR, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

MONTANDON, C. Sociologia da infância: balanço dos trabalhos em língua inglesa. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n. 112, mar. 2001.

PINTO, M. A infância como construção social. In: PINTO, M.; SARMENTO, M. J. (Coord.). As crianças: contexto e identidades. Portugal: Universidade do Minho, 1997. p. 33-73.

SARMENTO, M. J. Imaginário e culturas da infância. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 12, n. 21, p. 51-69, 2003.

SARMENTO, M. J.; CERISARA, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Lisboa: Asa, 2004.

SIROTA, R. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do olhar. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n. 112, mar. 2001.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1988.




DOI: https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.043.DS09

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat