A posição do Brasil em face da decisão da OMC: uma decisão realista ou racionalista sob a perspectiva da Escola das Três Tradições?

Gilberto Vaciles Bilacchi Júnior

Resumo


O presente ar go tem por obje vo analisar, com base nas diferentes correntes teóricas do direi- to internacional, como se dá a tomada de decisões dos países no âmbito das relações internacionais. Começaremos por uma análise do mundo jurídico e do mundo polí co, e a forma como estão organizados os países atualmente reconhecidos pela Organização das Nações Unidas. Posteriormente, adentraremos as relações internacionais e as suas teorias, analisando as principais correntes de pensamento que são o liberalismo, o realismo, a teoria radical e a economia polí ca internacional. O destaque será dado para a Escola das Três Tradições, que se baseia nos conceitos de Hedley Bull e Martin Wight de três tradições de ação no ambiente internacional. Para facilitar a compreensão do tema, u lizaremos como exemplo a disputa comercial acer- ca dos subsídios agrícolas, travada entre o Brasil e os Estados Unidos da América, perante a Organização Mundial do Comércio. Ao m, concluiremos opinando pelo po de decisão tomada pelo governo brasileiro ao rmar acordo com o país norte-americano acerca da disputa comercial, e em qual das teorias analisadas mais se amolda o atual estágio das relações internacionais. 


Palavras-chave


Teoria das relações internacionais. Escola das três tradições. Caso Brasil e EUA perante a OMC.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição (1988). Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Estados Unidos: subsídios ao al- godão. 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2010.

BULL, H. A sociedade anárquica. Brasília: UnB, 2002.

ECONOMIA e negócios. BRASIL adia até 2012 retaliação aos EUA sobre algodão. estadão.com.br. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2010.

JACKSON, R.; SORENSEN,G. Introdução às relações internacionais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

MINGST, K. A. Princípios de relações internacionais. Tradução de Arlete Símile Marques. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. ONU no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2010.

PIRES, S. As três tradições da escola inglesa de relações internacionais. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2010.

SAGUÉS, N. P. Mundo jurídico y mundo político. Buenos Aires: Depalma, 1978.

SARFATI, G. Teoria das relações internacionais. São Paulo: Saraiva, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rev.dir.econ.socioambienta.02.001.AO05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista de Direito Econômico e Socioambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

eISSN 2179-8214

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Rua Imaculada Conceição, 1155, Bloco Vermelho, Prado Velho, Curitiba/PR, Brasil, CEP 80.215-901

E-mail: revista.direito@pucpr.br

https://periodicos.pucpr.br/index.php/direitoeconomico/