40 anos de licenciamento ambiental: um reexame necessário

Maria Isabel Leite Silva de Lima, Fernando Rei

Resumo


O presente trabalho se dedica à regulação ambiental, como parte das políticas públicas, e em particular sobre o licenciamento ambiental. É ressaltado como o licenciamento tem sido conduzido pelos órgãos ambientais de maneira legalista e estática, sem ter apresentado evolução na incorporação e enfrentamento de novos problemas ambientais, cada vez mais complexos, apesar de avanços e resultados de melhoria ambiental em determinadas regiões do País. A percepção dos limites a que chegou o licenciamento originou diversas proposições de alterações legislativas, nem sempre preocupadas com a melhoria do seu desempenho e sua qualidade. Concluiu-se que o reexame é necessário e que deve relativizar a lógica burocrática de tomada de decisão, por um processo mais amplo de gestão que adote uma visão mais elaborada do comportamento das empresas e da participação de outros atores sociais. A metodologia se baseou numa pesquisa exploratória e qualitativa, a partir de uma revisão bibliográfica.


Palavras-chave


licenciamento ambiental; regulação ambiental; comando e controle; legislação; direito ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Ricardo. Muito além da economia verde. São Paulo: Ed. Abril, 2012.

ANTUNES, Paulo Bessa. Manual de Direito Ambiental. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

ARAÚJO, Suely Mara Vaz Guimarães de. HOFMANN, Rose Mirian. Proposta de resolução do Conama com diretrizes gerais para o licenciamento ambiental: análise crítica. 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2016.

BECK, Ulrick. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2010.

BENJAMIN, Antonio Herman. Introdução ao direito ambiental brasileiro. Revista de Direito Ambiental. São Paulo, ano 4, n. 14, abr./jun., p.48-82. 1999.

DOBSON, Andrew. Green political thought. London and New York: Routledge, 1995.

FIGUEIREDO, Guilherme José Purvin de. Curso de Direito Ambiental. São Paulo: ERT, 2011.

FIORINO, Daniel. The new environmental regulation. Massachussetts: MIT, 2006.

FREIRIA, Rafael Costa. Direito, Gestão e Políticas Públicas Ambientais. São Paulo: SENAC, 2011.

GRANZIERA, Maria Luiza Machado. Direito Ambiental. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

JACOBZONE, Stéphane; CHOI, Chang – Wong; MIGUET, Claire. Indicators of regulatory management systems. OECD Working Papers on Public Governance, n. 4. Paris: OECD Publishing, 2007.

JORDAN, Andrew. Environmental Policy: Protection and Regulation. International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences. Oxford: Pergamon, 2001. p. 4644-4651.

PHILIPPI JR., Arlindo; MARCOVITCH, Jacques. Mecanismos governamentais para o desenvolvimento sustentado. São Paulo: FEA-USP, 1993.

REI, Fernando; CIBIM, Juliana. Direito Ambiental. São Paulo: Editora Saraiva, 2011.

REI, Fernando; LIMA, Maria Isabel Leite Silva de. PEC que altera licenciamento ambiental não reflete sua justificativa. Consultor Jurídico. São Paulo: 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2016.

REI, Fernando; RIBEIRO, Flávio de Miranda. Limites do Controle Corretivo como Instrumento de Regulação Ambiental. In: FREITAS, Gilberto Passos de; GRANZIERA, Maria Luiza Machado (Org.). Sobre a Efetividade da Tutela Ambiental. v. 1. Campinas: Millennium Editora, 2014. p. 19-47.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i2.16646

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Maria Isabel Leite Silva de Lima, Fernando Rei

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

eISSN 2179-8214

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Rua Imaculada Conceição, 1155, Bloco Vermelho, Prado Velho, Curitiba/PR, Brasil, CEP 80.215-901

E-mail: revista.direito@pucpr.br

https://periodicos.pucpr.br/index.php/direitoeconomico/