Estética orteguiana: raízes kantianas

Maria João dos Santos das Neves

Resumo


Ortega y Gasset enriqueceu os seus estudos na Alemanha entre 1905 e 1908, nas cidades de Leipzig, Berlim e Marburgo, tendo sido aqui discípulo do neokantiano HermannCohen. Tomando essa circunstância como ponto de partida, propõe-se, neste artigo,levar a cabo uma indagação sobre as ideias estéticas de Ortega, contrastando com os fundamentos das fontes kantianas ou neokantianas da sua formação universitária alemã,traçar uma linha que permita demarcar claramente até onde Ortega segue Kant e onde,pelo contrário, o filósofo espanhol trilha o seu solitário e original caminho. Tomam-se como baluartes desta análise os quatro momentos do juízo de gosto inerentes à terceira crítica kantiana e a questão da genialidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistadefilosofiaaurora.6155

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.