Heidegger e a técnica: sobre um limite possível

Eladio Craia

Resumo


O artigo aborda a reflexão de Martin Heidegger sobre a Técnica a partir de leitura de A questão da Técnica. Nesse sentido, o texto acompanha o movimento da analise heideggeriana para expor seus elementos centrais. Assim, primeiramente o artigo mostra como o pensamento de Heidegger sobre a técnica deve ser colocado sob o prisma da questão mais geral de sua filosofia: a pergunta pelo sentido do Ser. Num segundo momento, o texto organiza os principais conceitos que estruturam a reflexão heideggeriana sobre a técnica: essência da técnica; desocultamento do Ser, modos epocais, desabrigar. Esses conceitos-chave são articulados com o resto do aparato conceitual do texto. Finalmente, o artigo analisa as consequências de certos postulados de Heidegger sob a perspectiva de certos limites que tais postulados poderiam implicar tanto para a interrogação heideggeriana da técnica quanto para a reflexão sobre a técnica em geral.

Texto completo:

PDF

Referências


BRÜSEKE, F. J. A técnica e os riscos da modernidade. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2001;

HEIDEGGER, M. A questão da técnica. Cadernos de Tradução, n. 2, p. 40-93, 1997;

MITCHAM, C. Qué es la filosofía de la tecnología? Trad. César Cuello Nieto. Barcelona: Anthropos, 1989;

ORTEGA y GASSET, J. Meditação sobre a técnica. Trad. José Francisco P. de Almeida Oliveira. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1991;

TAMINIAUX, J. Leituras da ontologia fundamental. Trad. João Carlos Paz. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/revistadefilosofiaaurora.7773

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.