A CAUSALIDADE NA ESFERA DOS SENTIMENTOS SEGUNDO DESCARTES

Mariana de Almeida Campos

Resumo


Este artigo examina quais teorias da causalidade explicam a ocorrência de sentimentos em animais e homens, segundo Descartes. Esse exame é feito à luz do debate entre as teorias ocasionalista e interacionista, bem como da posição de Descartes nesse debate. Nesse contexto, são discutidas algumas objeções a essas teorias, buscando determinar em quais pontos Descartes poderia ser considerado um adepto de uma ou da outra. A hipótese defendida é a de que ele adota certos aspectos da teoria interacionista para explicar a causalidade entre corpos, que caracteriza a ocorrência de sentimentos em animais. Por outro lado, ressalta-se o uso de duas linguagens em sua explicação da causalidade entre corpos humanos e mentes, que caracteriza os sentimentos humanos. Esse uso é explicado pelo fato de que, no caso desses sentimentos, ele adota uma posição que concilia ocasionalismo e interacionismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTOTE. Physique: I-IV. Texte établi et traduit par H. Carteron. Paris: Les Belles Lettres, 1990.

ARISTOTE. Métaphysique: livres A – Z. Traduit par J. Tricot. Paris: J. Vrin, 2000. Tome 1.

BAKER, G.; MORRIS, J. K. Descartes’ dualism. London: Routledge, 1996.

DELLA ROCCA, M. If a body meet a body: Descartes on body-body causation. In: GENNARO, R. J.; HUENEMANN, C. (Ed.). New essays on the rationalists. Oxford: Oxford University Press, 1999. p. 48-81.

DESCARTES, R. OEuvres de Descartes. Publiées par Charles Adam et Paul Tannery. Paris: J. Vrin, 1996. 12 v.

DESCARTES, R. Meditações, objeções e resposta. Cartas. Tradução de J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. São Paulo: Abril, 1998. (Os Pensadores, Descartes, 2).

GARBER, D. Descartes and occasionalism. In: NADLER, S. (Ed.). Causation in early modern philosophy: Cartesianism, occasionalism, and preestablished harmony. University Park: Pennsylvania State University Press, 1993. p. 9-26.

GUENANCIA, P. Lire Descartes. Paris: Éditions Gallimard, 1998. (Collection Folio. Essais).

GUEROULT, M. The metaphysics and physics of force in Descartes. In:

GAUKROGER, S. (Ed.). Descartes: philosophy, mathematics and physics. Sussex: Harvester Press; Totowa: Barnes & Noble Books, 1980. p. 196-225.

MACHAMER, P.; McGUIRE, J. E. Descartes’s changing mind. Princeton:

Princeton University Press, 2009.

MALEBRANCHE, N. OEuvres complètes. Édité par André Robinet. Paris: J. Vrin, 1968‑1970. 21 v.

NADLER, S. Malebranche on causation. In: NADLER, S. (Ed.). The Cambridge companion to Malebranche. Cambridge: Cambridge University Press, 2006. p. 112-136.

SCHMALTZ, T. M. Descartes on causation. Oxford: University Press, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.26.039.DS08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.