ABORDAGEM ANTIRREPRESENTACIONISTA DA CIÊNCIA COGNITIVA INCORPORADA

Kleber Bez Birolo Candiotto

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a postura antirrepresentacionista da abordagem incorporada da cognição em sua tentativa de fazer frente às possíveis limitações da ciência cognitiva clássica. Tal abordagem, propagada a partir da década de 1980, teve suas raízes na perspectiva ecológica de Gibson, com a noção de affordances, podendo uma versão mais acentuada ser identificada no texto Radical embodied cognitive science, de Chemero, em que o autor procura apontar a desnecessidade das representações mentais para a compreensão da cognição, tendo como apoio a noção de affordances, porém numa perspectiva distinta de Gibson. Ao apresentar a distinção conceitual de affordances entre os autores em questão, pretende-se, por fim, discutir a contribuição epistemológica da abordagem radical de cognição incorporada de Chemero para o futuro da ciência cognitiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDLER, D. (Org.). Introdução às ciências cognitivas. Trad. Maria Suzana Marc Amoretti. São Leopoldo: Unisinos, 1988.

BALLARD, D. H. et al. Deictic codes for the embodiment of cognition.

Behavioral and Brain Sciences, v. 20, p. 723-767, 1997.

CHEMERO, A. An outline of a theory of affordances. Ecological Psychology, n. 15, p. 181-195, 2003.

CHEMERO, A. Radical embodied cognitive science. Massachusetts: MIT Press, 2009.

CLARK, A. An embodied cognitive science? Trends in Cognitive Sciences, n. 3, p. 345-351, 1999.

FODOR, J. A. The language of thought. Cambridge: Harvard University Press, 1975.

FODOR, J. A. Methodological solipsism considered as a research strategy in cognitive psychology. Behavioral and Brain Sciences, n. 3, p. 63-73, 1980.

GARDNER, H. A nova ciência da mente. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2003.

GIBSON, J. J. The ecological approach to visual perception. New York: Psychology Press, 1986.

GOMILA, A.; CALVO, P. Directions for an embodied cognitive science: towards an integrated approach. In: GOMILA, A.; CALVO, P. (Ed.). Handbook of cognitive science: an embodied approach. Oxford: Elsevier, 2008.

HASELAGER, W. F. G. O mal-estar do representacionismo: sete dores de cabeça da ciência cognitiva. In: FERREIRA, A.; GONZALEZ, M. E. Q.; COELHO,

J. G. (Org.). Encontros com as ciências cognitivas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2004. v. 4. p. 105-120.

KELSO, J. A. S. Dynamic patterns: the self-organization of brain and behavior. Massachusetts: MIT Press, 1995.

PETZOLD, C. The annotated turing: a guided tour through alan turing’s historic paper on computability and the Turing machine. Indiana: Wiley, 2008.

SILVA FILHO, W. J. Mente, mundo e autoconhecimento: uma apresentação do externalismo. Trans/Form/Ação, v. 30, n. 1, p. 151-168, 2007.

VAN GELDER, T. What might cognition be, if not computation? The Journal of Philosophy, v. 92, n. 7, p. 345-381, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.26.039.DS03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.