O murmúrio da existência: apontamentos sobre o il y a em Levinas

Roberto Wu

Resumo


O (il y a), também denominado de “ser em geral”, é um conceito basilar para a filosofia de Emmanuel Levinas, sendo empregado reiteradamente em seus escritos para assinalar o caráter desértico e indeterminado da presença de uma densidade de vazio. Em nenhuma outra obra levinasiana essa noção recebe um tratamento tão exaustivo quanto em Da existência ao existente, muito embora ele não seja de todo claro. Uma dificuldade crucial advém do fato de que Levinas provém em geral um discurso indireto, negativo, sobre o , em vista da própria natureza dessa noção, refratária a determinações de qualquer natureza. O presente artigo objetiva destacar os traços fundamentais do nessa obra, o que implica, na medida em que não há um discurso direto sobre ele, investigar os eventos que lhe são correlativos. Considerando que o próprio Levinas se esforça em diferenciar esse conceito do dá-se ou (es gibt) heideggeriano, a primeira seção do artigo examina a diferença entre essas concepções. Nas seções seguintes, expõe-se o através dos eventos de neutralização (cansaço, preguiça e esforço), que manifestam o peso desse ser em geral, e de despersonalização (noite, horror e insônia), que colocam em questão a singularidade existencial, em vista da ubiquidade de uma plenitude de ausência, de um anônimo, de um murmúrio da existência. A investigação encerra ressaltando que o conceito de hipóstase, que se tornaria fundamental para a ética levinasiana, na medida em que conduz à ideia de separação, advém da posição do sujeito sobre o .


Palavras-chave


Neutralização. Despersonalização. Hipóstase.

Texto completo:

PDF

Referências


BERNASCONI, R. No Exit: Levinas’ Aporetic Account of Transcendence. Research in Phenomenology, v. 35, p. 101-117, 2005.

CRITCHLEY, S. Il y a – Holding Levinas’s hand to Blanchot’s fire. In: KATZ, C. E. (ed.) Emmanuel Levinas: critical assestments of leading philosophers. London: Routledge, 2005. p. 75-87.

DRABINSKI, J. E. & NELSON, E. S. (eds.) Between Levinas and Heidegger. Albany: SUNY, 2014.

HEIDEGGER, M. Wegmarken (GA 09). Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1976.

HEIDEGGER, M. Identität und Diferenz. (GA 11). Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 2006.

FAGENBLAT, M. Levinas and Heidegger: The Elemental Confrontation. In: MORGAN, M. L. (ed.) The Oxford Handbook of Levinas. New York: Oxford University Press, 2019. p. 103-133.

LAWTON JR, P. N. Levinas’ Notion of the “There Is”. Philosophy Today, n. 20, p. 67-76, 1976.

LEVINAS, E. Totalité et Infini: essay sur l’extériorité. Dordrecht: Kluwer Academic, 1971.

LEVINAS, E. De l’existence à l’existant. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 1986.

LEVINAS, E. Reflections on the Philosophy of Hitlerism. Trad. Seán Hand. Critical Inquiry, v. 17, n. 1, p. 63-71, 1990.

LEVINAS, E. Entre Nous: essais sur le penser-à-l’autre. Paris: Grasset & Fasquelle, 1991.

LEVINAS, E. Descobrindo a existência com Husserl e Heidegger. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

LEVINAS, E. Da existência ao existente. Trad. Paul Albert Simon, Ligia Maria de Castro Simon. Campinas: Papirus, 1998.

POLK, D. Good Infinity/Bad Infinity: Il y a, Apeiron, and the Environmental Ethics in the Philosophy of Levinas. Philosophy in the Contemporary World, n. 7, p. 35-40, 2000.

SEALEY, K. The ‘face’ of the il y a: Levinas and Blanchot on impersonal existence. Continental Philosophy Review, n. 46, 2013. p. 431-448.

ULJÉE, R. Thinking Difference with Heidegger and Levinas: truth and justice. Albany: SUNY, 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1980-5934.33.059.AO04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.