A figura de Jesus nos escritos de Nietzsche

Antonio Edmilson Paschoal

Resumo


O objetivo deste artigo é apontar algumas peculiaridades do papel desempenhado pela figura de Jesus nos escritos de Nietzsche, especialmente em duas passagens em que o tipo redentor tem lugar com traços claramente opostos. Na primeira, em Para a genealogia da moral, ele aparece como um instrumento de vingança da moral do ressentimento e, na segunda, em O Anticristo, ele surge justamente para traduzir um modo de agir oposto ao ressentimento e à sede de vingança. Frente a tal antinomia, pretendemos mostrar, primeiro, que a figura do redentor, presente nessas passagens, não remete a um conceito unívoco, válido para toda a obra do filósofo, mas ganha diferentes contornos conforme o contexto no qual está inserido e, segundo, que é possível uma convergência dessas passagens tendo em vista o tema do ressentimento e a crítica de Nietzsche ao cristianismo que não se aplica, necessariamente, ao redentor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.28.044.AO02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.