Emergência dos equipamentos coletivos: Estado do progresso dos trabalhos

Marcos Nalli, Tiaraju Dal Pozzo Pez

Resumo


Fazendo o inventário dos arquivos de seu colega falecido do departamento de Filosofia de Paris 8, Kyril Ryik, Alain Brossat se deparou com um texto datilografado e mimeografado intitulado “Emergência dos equipamentos coletivos: Estado do progresso dos trabalhos”, com a menção manuscrita lacônica “Foucault, julho de 1974”. Este texto não está nos Dits et Écrits, posto que evidentemente ele jamais foi publicado. Ele não se encontra também – sob reserva de inventário exaustivo
– nos arquivos Foucault depositados na BnF.

O texto datilografado se apresenta como esboço, corrigido e anotado à mão – provavelmente de uma mesma mão, mas sem certeza –, de um relatório intermediário cujo destinatário é o demandante de uma pesquisa contratada. À leitura do texto, cujas referências pitorescas não enganam por muito tempo, uma evidência se impõe: o texto é certamente de Foucault, a tal ponto que se tem a impressão momentânea de ler um resumo de passagens de Surveiller et Punir, que vem à lume sete meses mais tarde (fevereiro de 1975).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1980-5934.31.052.TD01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.