A arqueologia e seus limites

Monica Loyola Stival

Resumo


Trata-se de mostrar os limites da noção de arqueologia, considerando particularmente o livro A arqueologia do saber, que Foucault publica em 1969. A questão é o estatuto da síntese que delimita uma formação discursiva e, mais do que isso, o sentido do vínculo que desenha o espaço quase-transcendental de uma episteme, considerando não tanto a descontinuidade que a separa de outra episteme, mas a espessura que lhe fornece um sentido próprio. Com efeito, o artigo procura mostrar o inconveniente de uma arqueologia (como em Alain de Libera), sugerindo que outras perspectivas metodológicas, como a própria genealogia, permitiriam efetivamente descrever uma rede de acontecimentos, relançada em sua contingência radical.


Palavras-chave


Arqueologia; Foucault

Texto completo:

PDF

Referências


CANGUILHEM, G. « Mort de l’homme ou épuisement du cogito? », Critique, n° 242, juil. 1967.

FOUCAULT, M. Verdade e subjectividade (Howison Lectures). Revista de Comunicação e linguagem, n. 19. Lisboa: Edições Cosmos, 1993. p. 203-23.

FOUCAULT, M. Les mots et les choses :Une archéologie des sciences humaines (1966), Paris : Gallimard, 2005. [As palavras e as coisas. Trad. Salma Tannus Muchail, São Paulo: Martins Fontes, 2002].

FOUCAULT, M. L’Archéologie du savoir (1969), Paris: Gallimard, 2008. [FOUCAULT, M. A Arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008].

FOUCAULT, L’origine de l’herméneutique de soi, Conférences prononcées à Dartmouth College, 1980. Paris: Vrin, 2013. (collection “philosophie du présent”).

HUME, D. Tratado da Natureza Humana: uma tentativa de introduzir o método experimental de raciocínio nos assuntos morais. Trad. Débora Danowski. São Paulo: Editora UNESP/Imprensa Oficial do Estado, 2001.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1994.

LEBRUN, G. David Hume dans l’album de famille husserlien. Revista Manuscrito, v. 5, n. 2, abr. 1982.

LIBERA, A. Archéologie du sujet I: Naissance du sujet. Paris: VRIN, 2007.

LIBERA, A. De Où v ala philosophie médiévale? Collège de France, Paris, n. 244, 2014. (Coll. “Leçons inaugurales du Collège de France”).




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1980.5934.31.052.DS13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.