Empatia e dor: interlocuções entre Edith Stein e Merleau-Ponty

Iraquitan de Oliveira Caminha

Resumo


O objetivo desse artigo é discutir a empatia do ponto de vista da perspectiva fenomenológica de Stein. Com base nessa leitura sobre a empatia, iremos correlacionar as concepções de corpo próprio de Stein e Merleau-Ponty, visando mostrar como a empatia pode ser compreendida como experiência intercorpórea. Depois de mostrar a empatia enquanto experiência intercorpórea, iremos considerar o problema de sentir a dor do outro no contexto da clínica psicanalítica. Finalmente, propomos pensar um quadro de fibromialgia para discutir o encontro com a dor do outro pela escuta flutuante do corpo do outro como obra de arte.


Palavras-chave


Empatia. Dor. Stein. Merleau-Ponty.

Texto completo:

PDF

Referências


BAREA, R. O tema da empatia em Edith Stein. Dissertação (Mestrado em Filosofia) — Programa de Pós-graduação em Filosofia, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

FREUD, S. Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In: Edição Standard Brasileira das Obras Completas Psicológicas de S. Freud (ESB). Rio de Janeiro: Imago Editora, 1974. v. XII. (Trabalho original de 1912).

HUSSERL, E. A Filosofia como Ciência de Rigor. Coimbra: Atlântida, 1965.

MERLEAU-PONTY, M. Phénoménologie de la perception. Paris: Gallimard, 1992. (Trabalho original de 1945).

MERLEAU-PONTY, M. Sens et non-sens. Paris: Nagel, 1966. (Trabalho original de 1948).

SAFRA, G. Hermenêutica na situação clínica: o desvelar da singularidade pelo idioma pessoal. São Paulo: Sobornost, 2006.

STEIN, E. Le problème de l’empathie. Paris; Toulouse: Ad Solem — Les Éditions du Cerf-Éditions du Carmel, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1980-5934.29.048.DS03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.