A TERCEIRA FORMA DE SI ESPIRITUAL HEGELIANA ILUSTRADA COM PERSONAGENS DE GOETHE

Jaqueline Cristina Rossi

Resumo


Neste artigo, ilustraremos a terceira forma de si espiritual hegeliana,
o espírito certo de si mesmo, com personagens de Goethe. Partiremos
da hipótese de que a Fenomenologia do espírito, de Hegel, pode ser
posta lado a lado ao romance de Goethe, Os anos de aprendizado
de Wilhelm Meister, segundo o conceito de ‘Bildung’. Sob este
ângulo, o drama de Goethe, Fausto, caracterizaria o espírito certo
de si mesmo como a necessidade recíproca de sacrifício do universal
e particular. Esta necessidade, que parte de uma crítica da posição
moral Kantiana, é apresentada no diálogo entre a consciência que
é certa de si e age e a bela alma que quer, acima de tudo, manter a
pureza do universal. Esta passagem Hegel chama de o mal e seu
perdão. O resultado será uma nova consciência, a mais alta unidade
em oposição do particular e universal.

Texto completo:

PDF

Referências


ECCKERMANN, J. P. Conversações com Goethe. Belo Horizonte: Itatiaia,

;

GOETHE, J. W. Fausto. Belo Horizonte: Itatiaia, 2002;

______. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. São Paulo: Editora

, 2006;

HEGEL, G. W. F. Cursos de estética. São Paulo: Edusp, 2000. 2 v;

______. F. Fenomenologia do espírito. Petrópolis: Vozes, 2002;

KANT, I. Crítica da razão prática. São Paulo: Martins Fontes, 2002;

LUKÁCS, G. A teoria do romance. São Paulo: Editora 34, 2000;

ROSA, J. G. Grande sertão veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001;

SCHILLER, F. Cartas sobre a educação estética da humanidade. São Paulo:

EPU, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v19i24.2167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.