Pierre Hadot e os exercícios espirituais: a filosofia entre a ação e o discurso

Fábio Ferreira de Almeida

Resumo


O objetivo do presente artigo é analisar a noção de exercícios espirituais que o filósofo, filólogo e historiador Pierre Hadot elabora a partir de seus estudos acerca do pensamento antigo. Sobressai da ideia de exercícios espirituais, que marcou tão profundamente a filosofia de Michel Foucault, a relação entre ação e discurso, relação essa que configura a compreensão do que seja a própria filosofia. Compreender a filosofia como exercício espiritual a liga intimamente à vida, o que lhe confere tanto mais intensidade. Considerase também aqui a indissociabilidade entre filosofia e história na obra de Hadot, traço que distingue seu pensamento e que vem acrescentar a ele uma nota suplementar de exigência e de rigor.

Texto completo:

PDF

Referências


CHAR, R. Feuillets d’Hypnos. In: CHAR, R. Fureur et mystère. Paris:

Gallimard, 2003.

HADOT, P. Exercices spirituels et philosophie antique. Paris: Albin Michel,

HADOT, P. Eloge de la philosophie antique. Paris: Allia, 2006.

HADOT, P. La philosophie comme manière de vivre. Paris: Albin Michel,

a.

HADOT, P. Le voile d’Isis. Paris: Gallimard, 2008b.

HADOT, P. N’oublie pas de vivre, Goethe et la tradition des exercices spirituels. Paris: Albin Michel, 2008c.

HADOT, P. Qu’est-ce que la philosophie antique? Paris: Gallimard, 2008d.

PLATÃO. Apologia de Sócrates. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém:

EDUFPA, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v23i32.1750

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.