Marx diante da crise do capital

Jadir Antunes

Resumo


Este artigo tem por objetivo comentar a concepção de Marx sobre o problema da crise na sociedade capitalista. As chamadas teorias causais procuram mostrar que em Marx haveria uma causa central para a explicação da crise. Entre essas diversas causas estariam a anarquia do mercado, a superprodução, o subconsumo, a queda tendencial da taxa de lucro, a desproporção intersetorial, a renovação periódica do capital fixo e a superacumulação de capitais. As teorias causais buscam, de modo geral, compreender o movimento cíclico da crise, ou seja, o seu ordenamento empírico e causal. Não concordamos que uma leitura causal do problema possa ser considerada o melhor caminho para se entender o tema da crise. Ao se cair nessa forma de explicação fica-se refém de uma teoria dos ciclos econômicos e da tentativa de se ordenar os movimentos empíricos desses ciclos, esquecendo-se do caráter dialético e programático de O capital.

Texto completo:

PDF

Referências


MARX, K. Teorias da mais-valia. São Paulo: Difel, 1980.

MARX, K. Elementos fundamentales para la crítica de la economia política: borrador. 1857-1858. México: Siglo Veintiuno Editores, 1987.

MARX, K. O capital. São Paulo: Abril Cultural, 1989.

RICARDO, D. Princípios de economia política e tributação. São Paulo: Abril Cultural, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v23i33.1597

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.