A POLÍTICA E A SOCIEDADE CIVIL COMO PRESSUPOSTOS DA LIBERDADE SOCIAL DO INDIVÍDUO: a contribuição de John Locke para a fundamentação da modernidade

Ascísio dos Reis Pereira

Resumo


Neste texto, buscaremos apresentar as afirmações trabalhadas pelo pensador
inglês John Locke que, ao forjar uma idéia de sociedade no século dezessete,
mostra uma forma para que a sociedade assimile o que foi por ele proposto,
que é a formação do homem mediante um projeto político, com os
pressupostos do liberalismo por ele defendido. O ponto de partida que será
destacado é que ao formarem a sociedade civil, os homens a compreenderam
como uma forma de organização política, criando-se, assim, uma forma
institucional para que pudessem ficar vinculados a alguma coisa que lhes
trouxesse garantias e é sempre bom lembrar que a busca de tais garantias
refere-se à proteção da vida, da segurança pessoal e, principalmente, das
suas propriedades. Que é, ainda dentro do estado de natureza, que os homens
fizeram a experiência do conhecimento da liberdade e, portanto, não tem
sentido algum perder por completo algo que foi difícil de conquistar.


Texto completo:

PDF

Referências


LOCKE, John. Dois tratados sobre o Governo. Tradução Júlio Fischer. São

Paulo: Martins Fontes, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v20i26.1444

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.