A HIPÓTESE DO CONTINUUM DE DARWIN E A DISTRIBUIÇÃO DOS FENÔMENOS MENTAIS

Arthur Octavio de Melo Araújo

Resumo


Neste trabalho, procuro explorar o significado filosófico da chamada hipótese do continuum de Darwin e a possibilidade de atribuir mente ou mentalidade a criaturas não-humanas: de um lado, temos o chamado problema de ‘distribuição dos fenômenos mentais’ na recente Etologia Cognitiva; e, de outro, o problema filosófico ‘outras mentes’. Assim, o trabalho procurar indicar uma possível ponte conceitual entre problemas em Filosofia da Mente e estudos em Etologia Cognitiva. Esta é, portanto, uma abordagem interdisciplinar entre filosofia e biologia tendo em vista uma concepção ampla de mente ou mentalidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, C.; BEKOFF, M. Species of mind: the philosophy and biology of cognitive ethology. Cambridge: The MIT Press, 1997.

ARTHUR, R. Cohesion, division and harmony: physical aspects of Leibniz’s continuum problem (1671-1686). Perspectives on Science, v. 6, n. 1, p. 110-135, 1998.

CHOMSKY, N. Sobre natureza e linguagem. Trad. Marylene Pinto Michael. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

DARWIN, C. Le corail de la vie – Carnet B (1837-1838). Trad. Maxime Rovere. Paris: Payot, 2008.

DARWIN, C. The origins of species. New York: Gramercy Books, 1979. Originalmente publicado em 1859.

DARWIN, C. The descend of man. London: Peguin Books, 2004. Originalmente publicado em 1871.

DARWIN, C. A expressão das emoções no homem e nos animais. Trad. Leon de Sousa Lobo Garcia. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. Originalmente publicado em 1872.

DENTON, D. L’émergence de la conscience. Trad. Jean-Paul Mourlon. Paris: Flammarion, 1995.

DUNBAR, R. Theory of mind and the evolution of language. In: HURFORD, J. R.; STUDDERT-KENNEDY, M.; KNIGHT, C. Approaches to the evolution of language: social and cognitive bases. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. p. 92-110.

FOLEY, R. Os humanos antes da humanidade: uma perspectiva evolucionista. Trad. Patrícia Zimbres. São Paulo: Editora da Unesp, 2003.

GARCIA, A. Cognição e evolução: a contribuição de Korand Lorenz. Revista Ciências & Cognição, v. 4, p. 89-100, 2005.

GRIFFIN, D. R. The question of animal awareness: evolutionary continuity of mental experience. New York: Rockefeller University Press, 1981.

GRIFFIN, D. R. Animal minds. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

HUME, D. A treatise of human nature (T). London: The Temple Press, 1934.

KIM, J. Philosophy of mind. Boulder: Westview Press, 1996.

LEIBNIZ, G. W. Novos ensaios sobre o entendimento humano. Trad. Luiz João Baraúna. São Paulo: Nova Abril Cultural, 1992. Originalmente publicado em 1756.

LEWIN, R. Human evolution: an illustrated introduction. Cambridge: Blackwell, 2005.

LORENZ, K. Os fundamentos da etologia. Trad. Pedro Mello Cruz e Carlos C. Alberto. São Paulo: Editora da Unesp, 1995.

MAYR, E. What evolution is. New York: Basis Books, 2001.

MAYR, E. Biologia, ciência única. Trad. Marcelo Leite. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

NAGEL, T. What is it like to be a bat? The Philosophical Review, v. 83, n. 4, p. 435-450, 1974.

SEARLE, J. Intencionalidade. Trad. Júlia Fischer e Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

TATTERSALL, I. L’émergence de l’homme. Trad. Marcel Blanc. Paris: Gallimard, 1999.

TRAIGER, S. Hume. In: WILSON, R. A.; KEIL, F. (Ed.). The MIT encyclopaedia of the cognitive sciences. Cambridge: A Bradford Books; The MIT Press, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.26.038.AO.04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.