EDUCAÇÃO DE IMIGRANTES ALEMÃES EM CURITIBA

Valquiria Elita Renk

Resumo


Este trabalho é o resultado da dissertação de Mestrado em Educação sobre a primeira Escola Alemã Católica de Curitiba, num período de 1896 até 1938. O período estudado envolve a época da sua fundação até o seu fechamento enquanto uma escola étnica. Investigamos por que esta adotava um padrão de escolaridade da Alemanha e só posteriormente adotou o padrão das escolas brasileiras. Destinava-se aos meninos desta etnia e posteriormente foi aberta aos meninos de outras etnias, inclusive os brasileiros e outros credos religiosos. Utilizamos como fontes de pesquisa as leis e decretos de Educação do Paraná e do Brasil, os jornais Diário da Tarde e Der Kompass (A Bússola), que circularam durante o período estudado. Estas fontes nos permitiram reconstituir a trajetória histórica desta escola por meio da análise do seu cotidiano, das mudanças curriculares e do envolvimento comunidade étnica e religiosa e igreja.

Texto completo:

PDF

Referências


ARNS, J. C. Uma escola centenária em sua moldura histórica. Curitiba: Linarth, 1997.

AZEVEDO, F. A cultura brasileira. 6. ed. Rio de Janeiro, RJ: Editora da UFRJ, 1996

KREUTZ, L. O professor paroquial. Porto Alegre: EDUCS, 1991.

______. Escolas da imigração alemã no Rio Grande do Sul. In: _____ . Os Alemães no sul do Brasil. Canoas: ULBRA, 1994.

MARTINS, W. Um Brasil diferente. São Paulo, SP: Anhembi Ltda, 1955.

POUTIGNAT, P.; STREIFF-FENART, J. Teorias da etnicidade. São Paulo, SP: Ed. UNESP, 1998.

PICCOLO, F. A. S. (org). História e estórias do Bom Jesus. Curitiba: Associação Franciscana de Ensino Senhor Bom Jesus, 1980.

SEYFERTH, G. A colonização alemã no Vale do Itajaí Mirim: um estudo do desenvolvimento econômico. Porto Alegre: Movimento, 1974.

_____. Nacionalismo e identidade étnica: a ideologia germanista e o étnico Teuto-Brasileiro numa comunidade no Vale do Itajaí. Florianópolis: F.C.C., 1981.

_____. Construindo a nação: hierarquias raciais e o papel do racismo na política de imigração e colonização. In: ______ . Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro, RJ: Fiocruz,1996.

______. A identidade teuto-brasileira numa perspectiva histórica. In: ______ . Os alemães no sul do Brasil. Canoas: ULBRA, 1994.

THOMPSON, E. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 1981.

Fontes Documentais

BRASIL. Decreto-Lei n. 406, de 04.05.1938. In Lex- Coletânea de Legislação. São Paulo: Lex Ed. Ltda,1938

BRASIL. Decreto-Lei n. 1545, de 15.08.1939. In .Lex – Coletânea de Legislação. São Paulo: Lex Ed. Ltda, 1939.

JORNAL Der Kompass, de 1902 à 1937. Curitiba: Arquivo Colégio Bom Jesus.

JORNAL Diário da Tarde. Curitiba. De 1914-1920 e de 1930-45. Biblioteca Pública do Paraná.

MARTINEZ, C. P. (Inspetor do Ensino) Relatório de Governo, 1920 e 1921. Curitiba: Tipografia da Penitenciária do Estado, 1920 e 1921. -DEAP

PARANÁ. Lei n. 894, de 19.04.1909. Curitiba: DEAP.

PARANÁ. Lei n. 723, de 03. 04.1907. Curitiba: DEAP.

PARANÁ. Lei n. 365, de 11.04.1900. Curitiba: DEAP.

PARANÁ. Decreto n.17, de 09.11.1917. Curitiba: Diário Oficial do Estado do Paraná, 10.01.1917. DEAP

PARANA. Relatório de Governo. Curitiba: Typ. Da Penitenciária do Estado: 1920 e 1921. DEAP

PARANÁ. Atos da Interventoria Federal no Estado. Curitiba: Diário Oficial Do Estado, 19.01.1938, 19.01.1938 e 22.03.1938.




DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v5i14.7361

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat