Tecnologias digitais, espetáculo e violência na escola: uma análise de “Urso Branco”

Ana Lara Casagrande, Aliana França Camargo Costa, Terezinha Fernandes

Resumo


O presente artigo se propõe a analisar as práticas de violência mediadas por aparatos tecnológicos no ambiente escolar, a partir do episódio intitulado Urso Branco, parte da série Black Mirror, da Netflix. Nesse episódio, há uma narrativa que se desenvolve em meio a um contexto de sadismo coletivo acerca da punição da personagem central, registrado pelos aparelhos celulares. Partimos do pressuposto de que a relação com a câmera é fundamental para a compreensão do registro passivo da violência e seu compartilhamento em redes. A abordagem deste texto é qualitativa e tem como eixos de desenvolvimento: o cenário mediado pelas tecnologias digitais; episódios de violências escolares; discussão sobre violência e conflito; o papel da escola e dos letramentos digitais em uma perspectiva social e abordagem crítica na educação. Nota-se que as práticas sociais, interfaceadas por produções e compartilhamentos de mensagens transmidiáticas, circulam fugaz e velozmente pela rede, o que demanda reflexão sobre as práticas de ensino docente, o papel da escola e a aprendizagem com o uso de tecnologias digitais, na ótica da repulsa às ocorrências de violência escolar, que infringem os direitos humanos, sociais e de acesso ao conhecimento de outrem.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.19.062.DS06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat