Sobre Dewey, jogos digitais e ensino de História

Stella Maria Peixoto de Azevedo Pedrosa, Kauan Pessanha Soares

Resumo


O artigo associa a filosofia progressista de John Dewey, talvez o mais influente filósofo da educação no século XX, às concepções de jogos digitais e ao processo ensino-aprendizagem da História, considerando o jogo como uma possibilidade para o ensino dos conteúdos curriculares desta disciplina. Dewey defendeu a afinidade de todo conhecimento com o conhecimento prévio e, em termos historicistas, via a disciplina História como um produto do desenvolvimento histórico. Em sua perspectiva, para a compreensão de qualquer porção do conhecimento e sua relação com um indivíduo ou sociedade, deve-se entender sua história e, nesse sentido, considera o currículo organizado como uma história reencenada e cuidadosamente selecionada. Deste modo, os jogos digitais podem contribuir para o ensino dos conteúdos curriculares de História, visto que muitas de suas temáticas envolvem, de forma lúdica, importantes fatos históricos da humanidade, proporcionando o contato e ampliando o interesse pelo conhecimento histórico. Sob o enfoque deweyano, buscando-se integrar a “vida real” com as atividades escolares, discute-se de que modo os jogos digitais podem colaborar para que suas narrativas sejam relacionadas ao processo de ensino-aprendizagem. Em síntese, no artigo a perspectiva de Dewey é relacionada às concepções de jogos digitais e ao ensino da História, sendo, o jogo apresentado como uma possibilidade para a aprendizagem da História.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/1981-416X.19.062.AO03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat