Entre teses e textos: Como o tema da inferioridade da mulher aparece nos ensaios que Freud dedica à sexualidade feminina?

Léa Silveira

Resumo


O pensamento freudiano certamente conta entre as próprias condições de possibilidade do feminismo. A tese da bissexualidade originária do ser humano é fundamental nesse sentido porque ela serve de ponto de partida para a ideia de que a sexuação resulta de um processo, resulta de um tornar-se. Não estando dada de uma vez por todas, como se se tratasse de algo natural, ela pode ser entendida tanto no seu fator disruptivo relativamente a uma série de constrições tradicional e ideologicamente vinculadas ao organismo biológico, quanto nas possibilidades históricas que carrega consigo naquilo que concerne à própria construção do humano. Mas, por outro lado, não podemos negligenciar o fato de que as últimas considerações de Freud sobre a sexualidade feminina apresentam teses inapelavelmente inaceitáveis. Entre elas, lembremos que Freud situa as mulheres na contracorrente da civilização ao sustentar que nós seríamos menos capazes de sublimação e que possuiríamos um Supereu mais fraco. O objetivo do artigo é mostrar em detalhe como Freud tece suas teses a respeito da inferioridade feminina, sem diminuir o tom dessas teses, sem escamoteá-las e, ao mesmo tempo, tentando mostrar como elas produzem suas próprias armadilhas, ou seja, tentando destacar os momentos em que a argumentação de Freud simplesmente não se sustenta, ficando refém de modo não marginal de alguns preconceitos próprios.


Palavras-chave


Psicanálise; sexualidade feminina; feminismo

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO. A Cidade de Deus – Contra os pagãos. Parte II (Livros XI a XXII) Trad. Oscar Paes Leme. Petrópolis: Vozes, 2002.

AMBRA, P. O que é um homem? Psicanálise e história da masculinidade no Ocidente. São Paulo: Annablume, 2015.

BASTONE, P. A teoria da sexualidade feminina em Sigmund Freud e a crítica da supervalorização do homem em Simone de Beauvoir. Dissertação (Mestrado em psicologia) — Programa de pós-graduação em psicologia da UFSJ, 2019.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Trad. Sérgio Milliet. 2 volumes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016 [1949].

BIRMAN, J. Gramáticas do erotismo – A feminilidade e as suas formas de subjetivação em psicanálise. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2003 [1990].

FEDERICI, S. Calibã e a bruxa – Mulheres, corpo e acumulação primitiva. Trad. Coletivo Sycorax. São Paulo: Elefante, 2017 [2004].

FREUD, S. “Três ensaios sobre a teoria da sexualidade”. In: Obras completas. V. 6. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2016 [1905].

FREUD, S. “Sobre a mais geral degradação da vida amorosa”. In: Amor, sexualidade, feminilidade. Trad. Maria Rita Salzano Moraes. Belo Horizonte: Autêntica, 2018 [1912].

FREUD, S. “Introdução ao narcisismo”. In: Obras completas. V. 12. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010 [1914].

FREUD, S. “A organização sexual infantil”. In: Obras completas. V. 16. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1923].

FREUD, S. “A dissolução do complexo de édipo”. In: Obras completas. V. 16. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1924].

FREUD, S. “Algumas consequências psíquicas da diferença anatômica entre os sexos”. In: Obras completas. V. 16. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1925].

FREUD, S. “Sobre a sexualidade feminina”. In: Obras completas. V. 18. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010 [1931].

FREUD, S. “A feminilidade”. In: Obras completas. V. 18. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010 [1933].

FREUD, S. “Análisis terminable e interminable”. In: Obras Completas. V. XXIII. Trad. José Luis Etcheverry. Buenos Aires: Amorrortu, 2010 [1937].

KEHL, M. R. Deslocamentos do feminino. Rio de Janeiro: Imago, 2008.

LAQUEUR, T. La Fabrique du sexe: Essai sur le corps et le genre en Occident. Paris: Gallimard, 2013 [1992].

MITCHELL, J. Sobre Freud e a distinção entre os sexos. In: Psicanálise da sexualidade feminina. Trad. Luis Orlando C. Lemos. Rio de Janeiro: Campus, 1988 [1974].

OLIVA, J. Da sexualidade reificada à reciprocidade erótica no pensamento de Beauvoir. Tese (Doutorado em filosofía) — Programa de pós-graduação em filosofia da Unifesp, 2018.

PARENTE, A. Sublimação e Unheimliche. São Paulo: Pearson, 2017.

ROUDINESCO, E. Sigmund Freud na sua época e em nosso tempo. (Trad. A. Telles). Rio de Janeiro: Zahar, 2016 [2014].

RUBIN, G. “The traffic in women: Notes on the ‘political economy’ of sex”. In: REITER, R. R. Toward na anthropology of women. Nova York: Monthly Review Press, 1975.

SILVEIRA, L. “Assim é a mulher por trás de seu véu? Questionamento sobre o lugar do significante falo na fala de mulheres leitoras dos Escritos”. Lacuna: Uma revista de psicanálise, v. 3, p. 8-8, 2017.

SILVEIRA, L. “Sexualidade feminina, alienação corporal e destino: Discutindo algumas teses de Freud a partir da crítica de Beauvoir”. Ipseitas, v. 5, p. 106-127, 2019.




DOI: https://doi.org/10.7213/1980-5934.33.058.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.