Verdade-acontecimento e alteração no pensamento de Michel Foucault

Daniel Verginelli Galantin

Resumo


Neste artigo examinamos uma possível repercussão da separação entre uma verdade-demonstração e uma verdade acontecimento, em distintos momentos do pensamento de Foucault. Se Foucault descreve seu pensamento sob a série da verdade-acontecimento, sugerimos que essa série ainda pode ser estendida para a definição de seus livros enquanto livros-experiência. Neste caso, também a relação entre experiência e ficção, no sentido da produção de algo que não existe ainda, vincula seu pensamento à verdade-acontecimento. Tentamos descrever o sentido dessa produção nos termos de uma alteração, irredutível a uma alteridade definida por uma filosofia primeira. Finalmente, defendemos que também a forma com que a parresía é trabalhada em seu último curso segue o mesmo eixo da verdade-acontecimento. Todos esses elementos fornecem bases para que pensemos o estatuto da verdade do pensamento de Foucault, assim como ajudam a explicar como ele não pode remeter a qualquer normatividade.


Palavras-chave


Foucault; parresía; verdade; alteração

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, I. L. Foucault e a crítica do sujeito. Curitiba: Editora UFPR, 2008.

BLANCHOT, M. L’Entretien Infini. Paris: Gallimard, 2009.

BATAILLE, G. L’expérience intérieure. Paris: Gallimard, 2008.

CANDIOTTO, C. Foucault e a crítica da verdade. Belo Horizonte; Curitiba: Autêntica; Champagnat, 2010.

DETIENNE, M. Les maîtres de la vérité dans la Grèce archaïque. Paris : Librairie Générale Française, 2006.

DIOGÈNE LAËRCE. Vie, doctrine et sentences des philosophes ilustres. Tome II. Paris : Flammarion, 1965.

FOUCAULT, M. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2006a.

FOUCAULT, M. Dits et écrits. Tome II. Paris: Gallimard, 2001.

FOUCAULT, M. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 2012.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2010a.

FOUCAULT, M. Le courage de la vérité: le gouvernement de soi et des autres II. Paris: Seuil; Gallimard, 2009.

FOUCAULT, M. Le pouvoir psychiatrique. Paris: Seuil; Gallimard, 2003.

FOUCAULT, M. O governo de si e dos outros. São Paulo: Martins Fontes, 2010b.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 2006b.

GALANTIN, D. V. A presença de Georges Bataille no pensamento de Michel Foucault: entre o ser da linguagem, insurreição e atitude crítica. Revista Dois Pontos, Curitiba; São Carlos, 2017. p. 213-228.

GALANTIN, D. V. Notas sobre o Prefácio à Transgressão de Michel Foucault: linguagem, transgressão e negatividade. In: BUTTURI JUNIOR, A.; SEVERO, C. G. (orgs.). Foucault e as linguagens. Campinas: Pontes, 2018.

GROS, F. Foucault et la vérité cynique. Aurora, v. 23, n. 32, p.53-66, 2011.

GROS, F. Situation du cours. In: Le courage de la vérité. Op. Cit. 2009. p. 314-328.

HABERMAS, J. O discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

INCERTI, F. O visível e o sonoro em Édipo-rei: uma leitura foucaultiana. Tese (Doutorado em Filosofia) - São Paulo: PUC-SP, 2013.

MACHADO, R. Foucault, a ciência e o saber. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.




DOI: https://doi.org/10.7213/1980.5934.31.052.DS08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.