Fenomenologia dos direitos humanos de Emmanuel Levinas

Silvestre Grzibowski

Resumo


Pretende-se no presente artigo, apresentar a fenomenologia dos direitos humanos de Emmanuel Levinas. Para isso, primeiramente verificar-se-á como os direitos humanos foram atrelados pelo saber científico e as consequências deixadas para a civilização, e ainda averiguar-se-á os direitos dos cidadãos sendo abarcados pelo pensamento filosófico a partir do eu racional que culminará no universal. Diante disso, Levinas está convencido que seria necessário fazer uma nova reflexão sobre os direitos humanos, não nos esquemas tradicionais e já conhecidos, porém repensá-los a partir dos direitos dos outros homens. A tese que este ensaio procurará sustentar é que a fenomenologia dos direitos humanos deve ser constituída a partir da fenomenologia da sensibilidade e da vida de cada indivíduo, e essa sensibilidade primordial e fundamental o fará sair do gozo na medida em que outro o desperta e o convoca para responsabilizar-se e cuidá-lo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7213/aurora.28.043.DS04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.