O CONCEITO DE ANGÚSTIA NO PENSAMENTO PÓS-METAFÍSICO

Eder Soares Santos

Resumo


Pretendemos, neste artigo, traçar alguns pontos de intersecção entre o conceito de angústia na psicanálise de Winnicott e a fenomenologia existencial de Martin Heidegger, a fim de mostrar que a psicanálise winnicottiana se insere num contexto pós-metafísico. Para tanto, apresentaremos um esboço da análise fenomenológica do sentido do ser em Heidegger. Em seguida, apresentaremos alguns pontos de afinidades entre esse pensamento fenomenológico e a psicanálise winnicottiana. E, finalmente, desenvolveremos a tese de que é possível aproximar o conceito de angústia nesses dois autores

Texto completo:

PDF

Referências


DIAS, Elsa. O. A Teoria das psicoses em D. W. Winnicott. 1998. Tese

(Doutorado em Psicologia Clínica) – Pontifícia Universidade Católica de

São Paulo, SP,1998.

HANNS, Luís. Dicionário comentado do alemão de Freud. Rio de

Janeiro, RJ: Imago, 1996.

HEIDEGGER, Martin. O que é metafísica. São Paulo,SP: Duas Cidades,

______. Sein und Zeit: Gesamtausgabe. Frankfurt: Vittorio Kloestermann, 1977. v. 2.

______. Ser e tempo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

LOPARIC, Zeljko. Heidegger and Winnicott. Revista. Natureza Humana, v. 1, n. 1, 1999.

______. Winnicott e o pensamento pós-metafísico. Revista Psicologia

USP, v. 6, n. 2, São Paulo, SP: 1995.

______. Winnicott: uma psicanálise não-edipiana. Revista Percurso, n.

, 1996.

SANTOS, Eder. S. As angústias impensáveis em relação à angústia

de castração. 2001. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Universidade Estadual de Campinas, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rfa.v17i20.8525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.