Inovação tecnológica em energias renováveis no Brasil como imperativo da solidariedade intergeracional

Autores

  • Salete Oro Boff Faculdade Meridional
  • Vilmar Antonio Boff Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

DOI:

https://doi.org/10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i2.16442

Palavras-chave:

inovação tecnológica, solidariedade diacrônica, políticas públicas, sustentabilidade, energia renovável.

Resumo

O presente trabalho considera as evidentes mudanças climáticas e pretende demonstrar a necessidade de implementação de política públicas direcionadas ao avanço da inovação tecnológica em energias renováveis, em razão do esgotamento e dos malefícios causados pelas fontes de energia tradicionais. Apresenta-se um panorama sobre o esgotamento das fontes de energia usuais, indicando algumas das fontes de energia com potencial renovável, com destaque à concretização do imperativo da solidariedade diacrônica (intergeracional). Para atingir tal desafio, necessário implementar políticas públicas, voltadas a desenvolver tecnologias para as energias “limpas”, aptas a suprir as necessidades humanas, sem agredir o meio ambiente e socializar o acesso do produto da inovação. Os métodos utilizados no desenvolvimento foram o dedutivo e monográfico e a técnica de pesquisa bibliográfica em fontes secundárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Salete Oro Boff, Faculdade Meridional

Professora do Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Direito da Faculdade Meridional (Passo Fundo – RS, Brasil). Professora do Instituto Cenecista de Ensino Superior de Santo Ângelo (Santo Ângelo – RS, Brasil). Professora da UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul (Chapecó – SC, Brasil) sem dedicação exclusiva. Pós-Doutora pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Doutora em Direito pela Universidade do Vale dos Sinos (2005). Mestre em Direito pela Universidade do Vale dos Sinos (2000). É membro de Conselho Editorial de revistas na área jurídica e Consultora do Boletim Mexicano de Direito Comparado (UNAM). Avaliadora do MEC. E-mail: [email protected]

Vilmar Antonio Boff, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Coordenador do Programa de Mestrado Profissional em Gestão Estratégica de Organizações – PPGGEO da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (Santo Ângelo – RS, Brasil). Doutor e Mestre em Desenvolvimento Regional (2001-2007) pela Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC. Exerceu a função de Pró-Reitor de Administração na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - período 2013-2014. Docente e pesquisador em cursos de Graduação e Pós-Graduação. Desenvolve programas e projetos vinculados ao planejamento urbano e regional. E-mail: [email protected]

Referências

BARBOSA, Denis Borges. Direito da inovação: comentários à lei n. 10.973/2004, lei federal da inovação. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

BOFF, Salete Oro. A propriedade intelectual no agronegócio regional. In: PIMENTEL, Luiz Otávio; BOFF, Salete Oro; DEL’OLMO, Florisbal de Souza (Orgs.). Propriedade intelectual: gestão do conhecimento, inovação tecnológica no agronegócio e cidadania. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2008.

BOFF, Salete Oro; TEIXEIRA, Adam H. Energias Renováveis: políticas públicas de fomento às inovações tecnológicas. Curitiba-PR: Multideia, 2014.

BOFF, Salete Oro. Propriedade intelectual e desenvolvimento: inovação, gestão e transferência tecnológica. Passo Fundo: IMED, 2009.

BOFF, Salete Oro; GONÇALVES, Diego Marques. Políticas públicas para a inovação biotecnológica no Brasil: o marco legal sobre a matéria. In: COSTA, Marli Marlene Moraes; RODRIGUES, Hugo Thamir (org). Direito & Políticas Públicas. Curitiba: Multideia, 2010.

BOFF, Salete Oro; REIS, Jorge Renato dos; REDIN, Giuliana. (Orgs.). O direito na era digital: as novas tecnologias de informação e de comunicação. v. 1. Passo Fundo: EdIMED, 2011.

BOFF, Salete Oro; PIMENTEL, Luiz Otavio. (Org.). A proteção jurídica da inovação tecnológica. v. 1. Passo Fundo: EdIMED, 2011.

BOFF, Salete Oro; PIMENTEL, L. O. (Orgs.) . Propriedade intelectual gestão da inovação e desenvolvimento. v. 1. Passo Fundo: EdIMED, 2009.

BOFF, Salete Oro; BOFF, Vilmar Antonio; DUTRA, José .Carlos N. Energias renováveis: potencialidades e possibilidades de energia solar e eólica nas regiões das missões e noroeste/RS, BRASIL. In: BOFF, S.O.; PIMENTEL, L.O.. (Org.). Proteção jurídica da inovação tecnológica. v. 1. Passo Fundo: EdIMED, 2011.

BOFF, Salete Oro; TEIXEIRA, Adam Hasselmann . O tratamento das inovações tecnológicas no ordenamento jurídico brasileiro. In: BOFF, S. O.; PIMENTEL, L.O.. (Org.). A proteção jurídica da inovação tecnológica. v. 1. Passo Fundo: EdIMED, 2011.

BOFF, Salete Oro; BOFF, Vilmar Antonio. Replicar tecnologias sociais como instrumento de inclusão social. In: Salete Oro Boff, Neuro José Zambam, Vinícius Borges Fortes. (Org.). Direitos e Novas Tecnologias. v. 01. Santo Ângelo: Vanâncio Ayres, 2011. p. 23-36.

BRASIL, Lei 10.973, de 2 de dezembro de 2004, que dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Diário Oficial da Republica Federativa do Brasil, Brasília, DF, 3 de dez. de 2004. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 17 out. 2011.

BRASIL. Lei 11.196, de 21 de novembro de 2005, que Institui o Regime Especial de Tributação para a Plataforma de Exportação de Serviços de Tecnologia da Informação - REPES, o Regime Especial de Aquisição de Bens de Capital para Empresas Exportadoras - RECAP e o Programa de Inclusão Digital; dispõe sobre incentivos fiscais para a inovação tecnológica e dá outras providências. Diário Oficial da Republica Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 de nov. de 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 17 out. 2011.

BRASIL. Ministério da Ciência e da Tecnologia. MCT prioridade estratégica IV. Brasília, DF. Disponível em: <http://www.mct.gov.br/>. Acesso em: 14 out. 2011.

COSTA, Marli Marlene Moraes; RODRIGUES, Hugo Thamir (org). Direito & Políticas Públicas .Curitiba: Multideia, 2010.

DOWBOR, Ladislau. Democracia econômica: alternativas de gestão social. Disponível em: <http://dowbor.org>. Acesso em: 14 out. 2011.

DUPAS, Gilberto. O mito do progresso. Petrópolis: São Paulo: UNESP, 2006.

GARCIA, Eloi de Souza. Um olhar sobre a ciência: desenvolvimento, aplicações e políticas públicas. Rio de Janeiro: Interciência, 2003.

GIDDENS, Antony. La política del cambio climático. Trad. Francisco Muños de Bustillo. Madrid: Alianza, 2010.

JOCHEM, Eberhard. Eficiência energética: uma chance negligenciada em âmbito nacional e internacional. JOCHEM, Eberhard; et al. Cadernos Adenauer VI (2005), nº 4. Energia: da crise aos conflitos? Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, 2005.

MANUAL DE FRASCATI: proposta de práticas exemplares para inquéritos sobre investigação e desenvolvimento experimental, p. 17. Disponível em <http://www.fortec-br.org/MANUAL%20BASICO%20ACORDOS.pdf>. Acesso em: 19 nov. 2011.

MÜLLER, Geraldo. Desenvolvimento sustentável: notas para elaboração de um esquema de referência. In: BECKER, Dinizar Fermiano (Org.). Desenvolvimento sustentável: necessidade e/ou possibilidade? Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 1999.

PÉREZ, Elisa Prados. Luces y sombras en la implantación y desarrollo de las energías renovables. Una visión desde la administración local. In: BRAVO, Álvaro Sánchez; GORCZEVSKI, Clovis. (Eds.). Medio ambiente, energia y cambio climático. Sevilla: ArCiBel Editores, 2011.

PIMENTEL, Luiz Otavio. Disponível em: <http://www.propesquisa.ufsc.br/arquivos/FopropSul-2008-Pimentel.pdf>. Acesso em: 19 nov. 2011.

PIMENTEL, Luiz Otavio; BARRAL, Welber. Direito de propriedade intelectual e desenvolvimento. In: BARRAL, Welber; PIMENTEL, Luiz Otavio. (Orgs.). Propriedade intelectual e desenvolvimento. Florianópolis: Boiteux, 2007.

RAYOL, Alice. Tendências de exame dos pedidos de patente na área da biotecnologia. Revista da ABPI, n. 63. mar-abr, 2003, p. 50.

RODRIGUES, Marta M. Assumpção. Políticas públicas. São Paulo: Publifolha, 2010.

ROSSETTO, Carlos Jorge. Riqueza do primeiro mundo e pobreza do terceiro mundo. Debate Nacional – Projeto Nacional Ciência e Tecnologia, crise do Estado e privatização, neoliberalismo e nova dependência. São Paulo: INEP, 1995.

SANTOS, Boaventura de Souza. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. v.1. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

SANTOS, Manoel J. Pereira dos. Princípios constitucionais e propriedade intelectual: o regime constitucional do direito autoral. In: ADOLFO, Luiz Gonzaga Silva; WACHOWICZ, Marcos (Coords.). Direito da propriedade intelectual. Curitiba: Juruá, 2006.

SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

SCHOLZE, Simone H. Os direitos de propriedade intelectual e a biotecnologia. Cadernos de Ciência & Tecnologia. Brasília: Embrapa, v. 15, 1998.

SILVA, Ennio Peres da; et al. Energia a partir do uso do hidrogênio. In: TOLMASQUIM, Mauricio Tiomno (Org.). Fontes renováveis de energia no Brasil. Rio de Janeiro: Interciência, CENERGIA, 2003.

SILVEIRA, Newton. Curso de propriedade industrial. 2.ed. São Paulo: RT, 1987.

SOARES, José Carlos Tinoco. Tratado de propriedade industrial. São Paulo: Jurídica Brasileira, 1998

SCHUMPETER, J. Theories of economic development. Cambridge, M.A, 1934.

STIGLITZ, Joseph. Patentes ajudam ou atrapalham a pesquisa?. New Scientist. 2006. p. 16-20.

VECCHIA, Rodnei. O meio ambiente e as energias renováveis: instrumentos de liderança visionária para a sociedade sustentável. Barueri, SP: Manole, 2010.

WACHOWICZ, Marcos. Reflexões sobre a revolução tecnológica e a tutela da propriedade intelectual. In: ADOLFO, Luiz Gonzaga Silva; MORAES, Rodrigo. Propriedade intelectual em perspectiva. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

WALISIEWICZ, Marek. Energia alternativa: solar, eólica, hidrelétrica e de biocombustíveis. Tradução de Elvira Serapicos. São Paulo: Publifolha, 2008.

Downloads

Publicado

2017-11-01

Como Citar

Boff, S. O., & Boff, V. A. (2017). Inovação tecnológica em energias renováveis no Brasil como imperativo da solidariedade intergeracional. Revista De Direito Econômico E Socioambiental, 8(2), 282–302. https://doi.org/10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i2.16442

Edição

Seção

Artigos