Ética e política em Hans Jonas e Hannah Arendt

Éric Pommier

Resumo


Para além do fato de comungarem as suspeitas contra os desenvolvimentos modernos da técnica e os riscos que eles representam para o mundo humano, Hans Jonas e Hannah Arendt se distanciam quanto às condições que permitiriam preservar um tal mundo. O primeiro nos convida a desenvolver uma ética da responsabilidade para com a vida enquanto a segunda desenha uma política da ação humana que escapa do ciclo vital. A constatação dessa divergência serve, no entanto, de pretexto para pensarmos uma complementaridade: a natalidade arendtiana pode receber uma justificação bioontológica e a ética jonasiana pode encontrar um modo de encarnação política na filosofia de Hannah Arendt.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/aurora.28.043.DS12

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.