Por uma história e método da recepção filosófica da psicanálise: esboço de um programa de pesquisa

Weiny César Freitas Pinto

Resumo


O artigo apresenta um esboço de programa de pesquisa sobre a recepção filosófica da psicanálise, baseado em uma dupla proposta: 1) a formulação de uma história dessa recepção, 2) a possibilidade de extrair dessa história, um método. A argumentação se desenvolve em duas direções: i) na caracterização geral das maiores tradições de recepção filosófica da psicanálise — as tradições alemã, anglo-saxã e francesa —, seguida da análise específica dos trabalhos da filosofia brasileira da psicanálise e do freudismo filosófico francês; ii) na discussão de questões metodológicas: a) de história, b) de método e c) de locus, que constituem o problema de saber se uma história da recepção filosófica da psicanálise pode nos fornecer, ou não, um novo método de pensamento. A principal conclusão do trabalho é a de que um programa de pesquisa sobre a recepção filosófica da psicanálise, concebido nos termos aqui propostos – história e método –, deve ser levado adiante especialmente pela recepção filosófica brasileira da psicanálise, isto é, tudo indica que é do conjunto de pesquisas realizadas no Brasil que poderá surgir uma “história e método da recepção filosófica da psicanálise”.


Palavras-chave


História da recepção. Filosofia. Psicanálise.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLENDY, R. “La psychanalyse et les sciences anciennes Les doctrines philosophiques”. L’évolution psychiatrique, Paris, v. 1, n. 1, p. 258-276, 1925.

ALMEIDA, J. J. R. L. de. “Persuasão antes que convencimento: apontamentos sobre Wittgenstein e a psicanálise”. Trans/Form/Ação, Marília, v. 30, n. 2, p. 53-74, 2007.

ALMEIDA, J. J. R. L. de. “A gramática da psicanálise”. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 13, n. 2, p. 61-83, jul./dez. 2008.

ALMEIDA, J. J. R. L. de. “Wittgenstein, Freud e Lacã: por um uso completo da linguagem”. In: SIMANKE, R. et al. (Org.). Filosofia da Psicanálise: autores, diálogos, problemas. São Carlos: EdUFSCar, 2010. p. 237-259.

ALTHUSSER, L. “Freud et Lacan”. In: ALTHUSSER, L. Écrits sur la psychanalyse – Freud et Lacan. Paris: STOCK/IMEC, 1993. p. 15-53.

ALTHUSSER, L. “Psychanalyse et sciences humaines: deux conférences”. Paris: Stock/Imec, 1996.

ANDRADE, A. de. “A verdade contra Freud”. Rio de Janeiro: Schimidt Editor, 1933.

ASSOUN, P.-L. “Freud, a filosofia e os filósofos”. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, 1978.

ASSOUN, P.-L. “Introdução à epistemologia freudiana”. Rio de Janeiro: Imago, 1983.

BACKES, C. “Psychanalyse et philosophie”. In: SEMPE, J.-C. et al. La psychanalyse. Paris: S. G. P. P., 1969. p. 273-317.

BINSWANGER, L. “La conception freudienne de l’homme à la lumière de l’anthropologie”. In: BINSWANGER, L. Discours, parcours et Freud: analyse existentielle, psychiatrie clinique et psychanalyse. Paris: Gallimard, 1970.

BIRMAN, J. “Pensamento freudiano e a constituição do saber psicanalítico”. 1984. Tese (Doutorado em Filosofia) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

BLONDEL, C. “La psychanalyse”. Paris: Librairie Félix Alcan, 1924.

BRÈS, Y. “Psychanalyse et philosophie en France depuis 1940”. In: Psychanalyse à l’Université, v. 5, n. 19, p. 437-454, 1980.

BRODEUR, C. “Freud: philosophe?”. Paris: L’Harmattan, 2003.

CANDIDO, A. “A importância de não ser filósofo”. Discurso, São Paulo, n. 37, p. 7-15, 2007.

CAVELL, M. “The Psychoanalytic mind: from Freud to Philosophy”. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

DAVIDSON, D. “Paradoxos da irracionalidade”. [1982]. Disponível em: https://ateus.net/artigos/filosofia/paradoxos-da-irracionalidade/. Acesso em: 23 mar. 2016.

DERMEE, P. “Aristote avait raison”. Le disque vert, Paris/Bruxelles, n. spécial, ano 2, série 3, p. 178-180, 1924.

DI MATTEO, V. (Org.). “Ressonâncias do pensamento freudiano na literatura filosófica”. 2003. Dissertação (Mestrado em Filosofia) — Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 2003.

DORER, M. “Les bases historiques de la psychanalyse”. Paris: L’Harmattan, 1932 [2012].

DUPRAT, G.-L. “Le rêve et la pensée conceptuelle”. Revue philosophique de la France et de l’étranger, Paris, tomme LXXII, p. 285-289, 1911.

FAVEZ-BOUTONIER, J. “Psychanalyse et philosophie”. Bulletin de la société française de philosophie, Paris, 49ͤ année, n. 1, p. 1-41, 1955.

FERNANDEZ, R. “Freud et la philosophie morale”. Le disque vert, Paris/Bruxelles, n. spécial, ano 2, série 3, p. 129-136, 1924.

FILHO, L. “A psicologia no Brasil”. Arquivos brasileiros de psicologia aplicada, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, p. 113-142, 1971.

FREITAS PINTO, W. C. “Do círculo à espiral: por uma história e método da recepção filosófica da psicanálise segundo o freudismo filosófico francês (Ricœur) e a filosofia brasileira da psicanálise (Monzani)”. 2016. Tese (Doutorado em Filosofia) — Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, Campinas, 2016.

FREITAS PINTO, W. C. “Notas para uma sistematização histórica da recepção filosófica da psicanálise no Brasil”. Natureza Humana – Revista Internacional de Filosofia e Psicanálise, São Paulo, v. 20, n. 2, pp. 113-122, 2018.

GRESSOT, M. “Psychanalyse et connaissance: contribution à une épistémologie psychanalytique”. Revue française de psychanalyse, tome XX, n. 1/2, p. 11-150, 1955.

GRÜNBAUM, A. “The foundations of psychoanalysis: a philosophical critique”. Oakland: University of California Press, 1984.

HABERMAS, J. “Conhecimento e interesse”. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

HOOK, S. (Ed.). “Psychoanalysis, scientific method and philosophy”. New York: New York University Press, 1959.

JASPERS, K. “Raison et déraison de notre temps”. Paris: Desclée de Brouwer, 1953.

LAGACHE, D. “Voisinage de la philosophie et de la psychanalyse”. In: LAGACHE, D.; ROSENBLUM, E. Agressivité, structure de la personnalité et autres travaux. Paris: PUF, 1982. p. 53-67.

LAPLANCHE, J.; LECLAIRE, S. “L’inconscient: une étude psychanalytique”. In: HEY, H. (Dir.). L’inconscient: VI° colloque de Bonneval. Paris: Desclée de Brouwer, 1966. p. 95-130.

LÉVY-VALENSI, E. A. “L’incidence psychanalytique et le problème de la connaissance”. La psychanalyse – recherche et enseignement freudiens de la société française de psychanalyse, v. 3, p. 83-110, 1957.

LUDIWIG, E. “Freud desmascarado”. Rio de Janeneiro: Livraria José Olympio Editora, 1948.

MACINTYRE, A. “The unconscious: a conceptual analysis”. Revised edition. New York/London: Routledge - Taylor & Francis Group, 2004.

MARCUSE, H. “Eros e civilização: uma intepretação filosófica do pensamento de Freud”. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MEZAN, R. “Freud: a trama dos conceitos”. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

MONZANI, L. R. “Freud: o movimento de um pensamento”. Campinas: Editora da UNICAMP, 1989.

MONZANI, L. R. “Discurso filosófico e discurso psicanalítico: balanços e perspectivas”. In: PRADO JR., B. (Org.). Filosofia da psicanálise. São Paulo: Brasiliense, 1991. p. 109-138.

POLITZER, G. “Critique des fondements de la psychologie”. Paris: PUF, 1967.

POPPER, K. “Conjecturas e refutações”. Brasília: UNB, 2008.

PRADO JR., B. (Org.). “Filosofia da psicanálise”. São Paulo: Brasiliense, 1991.

PRADO JR., B. “Geoges Potitzer: sessenta anos da “Crítica dos Fundamentos da Psicologia””. In: PRADO JR., B. (Org.). Filosofia da psicanálise. São Paulo: Brasiliense, 1991. p. 11-28.

REVUE Philosophique de la France et de l’Étranger. Paris: PUF.

REVUE le Disque Vert. Paris/Bruxelles: Éditions du Sagittaire, número spécial, segundo ano, terceira série, 1924.

REVUE l’Évolution Psychiatrique – psychanalyse-psychologie clinique. Paris: Payot.

RORTY, R. “Freud e a reflexão moral”. In: RORTY, R. Ensaios sobre Heidegger e outros: escritos filosóficos 2. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999. p. 193-219.

SIMANKE, R. T. “O que é a filosofia da psicanálise e o que ela não é”. Educação temática digital, Campinas, v. 11, n. especial, p. 189-241, 2010.

SIMANKE, R. T. “Reflexões sobre a área de pesquisa filosofia da psicanálise: um depoimento sobre sua constituição em São Paulo”. Analytica, São João del-Rei, v. 3, n. 4, p. 201-228, 2014.

SIWEK, P. “A psicanálise”. São Paulo: Faculdade de Filosofia, 1945.

WISDOM, J. “Philosophy and psycho-analysis”. Oxford: Blackwell, 1953.

WITTGENSTEIN, L. “Leituras e conversações sobre estética, psicologia e crença religiosa”. Lisboa: Cotovia, 1998.

WOLLHEIM, R. “As ideias de Freud”. São Paulo: Círculo do Livro, 1971.

WOLLHEIM, R. (Ed.). “Freud: uma coleção de ensaios críticos”. São Cristóvão: Artenova, 1976. 2 t.




DOI: https://doi.org/10.7213/1980-5934.33.058.DS08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.