Tecnologia social de planejamento de vida: monitoramento do plano individual de atendimento de medida socioeducativa

Gabrielle Kepka Citelli, Sineide Ribeiro Iurckevicz, Rayssa Victória Batista Caldas

Resumo


É desafiador adolescer, muito mais é (sobre)viver na adolescência em um contexto social de alta vulnerabilidade, muitas vezes permeado por violência e privação de direitos desde a mais tenra idade. A adolescência é muitas vezes descrita de maneira negativa e até patológica, fase do desenvolvimento humano que é de extrema importância por suas construções e reconstruções, que podem deixar marcas para todas as demais fases da vida. Por adolescente, entende-se pessoa entre doze e dezoito anos de idade. Desta forma, o objetivo deste artigo é apresentar a Ferramenta de Tecnologia Social, denominada Projeto de Planejamento de Vida, desenvolvida e executada ao longo de alguns anos, aplicada aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa em meio aberto, mais especificamente de Liberdade Assistida, ou seja, adolescentes com prática infracional neste momento de sua vida. Trazemos um recorte de resultados a partir de uma coleta de dados, num período de 13 meses, que compreende de fevereiro de 2019 à março de 2020, tendo em vista a pandemia pelo novo coronavírus, o qual impactou de maneira direta a execução do projeto. Ao total foram 97 adolescentes inseridos no projeto, sendo que 44 cumpriram de maneira efetiva, o que nos faz concluir que o projeto foi efetivo em seus objetivos.


Palavras-chave


Plano Individual de Atendimento; Adolescentes; Ato Infracional; Medida Socioeducativa; Tecnologia Social

Texto completo:

PDF

Referências


Lei nº 6.697, de 10 de Outubro de 1979 (1979). Institui o Código de Menores. Brasília. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/l6697.htm

Lei nº 8.069, de 13 de Julho de 1990 (1990). Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm

Lei nº 12.594, de 18 de Janeiro de 2012 (2012). Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), regulamenta a execução das medidas socioeducativas destinadas a adolescente que pratique ato infracional. Brasília. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12594.htm

Carter, B. & McGoldrick, M. (1995). As Mudanças no Ciclo de Vida Familiar. Porto Alegre, Artmed, 1995. Recuperado de https://statics-americanas.b2w.io/sherlock/books/firstChapter/162268.pdf

Digiácomo, M. J.; Digiácomo, I. de A. (2017). Estatuto da Criança e do Adolescente Anotado e Interpretado. Ministério Público do Estado do Paraná. Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Criança e do Adolescente, 2017. 7ª Edição.

Domingues, Daniela Fontoura, & Costa, Liana Fortunato. (2016). O Adolescente em Situação de Ofensa Sexual: proteção e responsabilização para evitar a reincidência. Revista Psicologia Política, 16(36), 139-151. Recuperado em 14 de maio de 2021, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2016000200002&lng=pt&tlng=pt

Freire, P. (1983). Extensão ou comunicação? 4 o ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

Freire, P. (2011). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, 2001.

ITS BRASIL. (2018). O que é Tecnologia Social - Introdução. 2018. Recuperado de http://itsbrasil.org.br/wp-content/uploads/2018/02/ebook_TSintroducao.pdf

Marcelino, M. Q. dos S., Catão, M. de F. F. M., & L.ima, C. M. P. de. (2009). Representações sociais do projeto de vida entre adolescentes no ensino médio. Psicologia: Ciência e Profissão, 29(3), 544-557. doi: 10.1590/S1414-98932009000300009.

Miguel, G. de D. V. (2018). As possíveis causas da infração na adolescência: para além do socialmente imposto. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Serviços Sociais) – Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2018. Recuperado de https://repositorio.unifesp.br/bitstream/handle/11600/51538/TCC%20SS%20Gabriela%20de%20Don%C3%A1.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Racionais MC’s. (1990). Beco sem saída. In: Holocausto Urbano. [online] São Paulo, SP: Zimbabwe Records. Recuperado de https://www.youtube.com/watch?v=slyGRpFniXM

Silva, D. D. da. (2015). As relações dialógicas em Paulo Freire: da ação docente à alfabetização. Revista Educação e Linguagens, Campo Mourão, v. 4, n. 7, jul./dez. 2015. Recuperado de http://www.fecilcam.br/revista/index.php/educacaoelinguagens/article/viewFile/841/491

Sousa, I. D. F. de. (2015). Adolescentes em Conflito com a Lei: as causas que levam os adolescentes a cometerem ato infracional no Estado do Piauí. Revista do Departamento de Fundamentos da Educação da Universidade Federal do Piauí. V.3, n.2, 2015. Recuperado de https://revistas.ufpi.br/index.php/fundamentos/article/view/4732/2724

Veloso, Talita Quinsler; Lima, Cezar Bueno de; Carvalho, Maria Cristina Neiva de. (2018). A justiça restaurativa como possibilidade de garantia e defesa dos direitos humanos do(a) adolescente em conflito com a lei. 2018. 111 p. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2018. Recuperado de https://archivum.grupomarista.org.br/pergamumweb/vinculos//00007c/00007cd9.pdf




DOI: https://doi.org/10.7213/psicolargum39.106.AO08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Editora Universitária Champagnat