A face oculta da Modernidade colonial | The hidden face of colonial Modernity

Raphael Colvara Pinto

Resumo


O conceito de Modernidade líquida, do sociólogo polonês Zygmunt Bauman, tornou-se referência para inúmeras abordagens nas Ciências Sociais contemporâneas. Contudo, seu pensamento tem sido alvo de críticas por buscar universalizar uma experiência europeia particular em detrimento de outras. Tomando em consideração esse desafio, o presente artigo propõe a seguinte questão: até que ponto a Modernidade Líquida responde às transformações do Sul global? Como pensá-la para além de suas ambiguidades sem desconsiderar seus contributos? Essa abordagem nos permitirá analisar como os processos mundiais construíram concepções em termos de hierarquias excludentes, incorporadas tanto nas instituições detentoras do poder, quanto nas categorias e conceitos internalizados. Abordaremos tal questão a partir das contribuições de autores latino-americanos como Aníbal Quijano e Walter Mignolo, apontando a Modernidade colonial como aparato ideológico e econômico que serviu para o silenciamento de povos não europeus.

Palavras-chave: Modernidade. Modernidade líquida. Pensamento decolonial.


Abstract

The concept of liquid modernity, by the Polish sociologist Zygmunt Bauman, has become a reference for approaches in contemporary social sciences. However, his thinking has been criticized for seeking to universalize a specific European experience to the detriment of others. Taking this challenge into account, this article presents the following question: to what extent does liquid modernity respond to the transformations of the global South? How to think about it beyond its ambiguities without disregarding its contributions? This approach analyzes how the world processes have built conceptions in terms of excluded hierarchies, incorporated both in the institutions with power, as well as in the internal categories and concepts. This article addresses this issue based on the contributions of Latin American authors such as Aníbal Quijano and Walter Mignolo, pointing to colonial Modernity as an ideological and economic apparatus that serves to silence non-European peoples.

Keywords: Modernity. Liquid Modernity. Decolonial thinking.


Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. O mal estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1998.

BAUMAN, Z. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1999.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2001.

BAUMAN, Z. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro. Editora Zahar, 2003.

BAUMAN, Z. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2007a.

BAUMAN, Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2007b.

BAUMAN, Z. Retrotopia. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2017.

CUNHA, C. Encontros decoloniais entre o bem viver e o reino de Deus. Campinas: Saber Criativo, 2019.

DUSSEL, E. 1492: O encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade. Petrópolis: Vozes, 1993.

FOUCAULT, M. De outros espaços. Estudos Avançados, vol. 27, n. 79, p. 113-122, 2013.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo: UNESP, 1991.

LYOTARD, J-F. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 2002.

MIGNOLO, W. D. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 32, n. 94, jun. 2017.

MIGNOLO, W. D. Habitar la frontera: sentir y pensar la descolonialidad. Barcelona: Bellaterra, 2015.

MIGNOLO, W. D. La idea de America Latina: la herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Gedisa, 2007.

MIGNOLO, W. D. The Geopolitics of Knowledge and the Colonial Difference. South Atlantic Quarterly, v. 101, n. 1, p. 57–96, 2002.

NIETZSCHE, F. A gaia ciência. São Paulo: Martin Claret, 2017.

OLIVEIRA, M. Pós-modernidade: abordagem filosófica. In: TRASFERETTI, J.; GONÇALVES, P. S. L. (org.). Teologia e pós-modernidade. São Paulo: Paulinas, 2003, p. 21-53.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005, p. 117-142.




DOI: http://dx.doi.org/10.7213/2318-8065.04.02.p96-106

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O Caderno Teológico está indexado por:

 

                                

                           

                                                                   

     

 

 

 

 

 

 

 

 

Licença Creative Commons
Caderno Teológico de Pontifícia Universidade Católica do Paraná está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.