ESTUDO DA QUALIDADE DE ÁGUA DE CORPO RECEPTOR DE EFLUENTES LÍQUIDOS INDUSTRIAIS E DOMÉSTICOS

André Nagalli, Priscila Duarte Nemes

Resumo


Foi realizada uma investigação ambiental de um corpo hídrico receptor de efluentes líquidos industriais e domésticos. Caracterizações físico-químicas e biológicas das águas residuárias e do curso hídrico permitiram inferir a autodepuração no córrego e os efeitos associados às poluições pontuais e difusas. Foram analisados parâmetros como pH, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio (DBO5 ), demanda química de oxigênio (DQO), sólidos, e alguns metais pesados. O curso d’água analisado pertence à Bacia Hidrográfica do Rio Barigüi, Região Metropolitana de Curitiba, Estado do Paraná. Variações espaciais expressivas dos parâmetros monitorados foram observadas, atribuindo-as às fontes de poluição e aos processos de depuração. Por exemplo, foi constatada uma redução de 90% na concentração de DBO5 e de 21% de DQO ao longo do córrego. Os resultados foram confrontados com os parâmetros de águas brutas, indicados na Resolução CONAMA 357/05, os quais demonstraram que, por vezes, os dos efluentes ultrapassaram o limite estabelecido. Os estudos de caracterização do regime hidráulico do corpo d’água favoreceram a compreensão dos processos de diluição e aeração e permitiram a quantificação das cargas poluidoras de cada elemento analisado. Conclui-se que a capacidade de autodepuração do corpo hídrico se faz presente, embora não seja capaz de degradar toda a carga de poluição afluente. Sugere-se que a legislação atual seja revista, a fim de considerar que indicadores de poluição sejam quantificados em termos de carga poluidora ao invés de suas concentrações.

Palavras-chave


Qualidade da Água; Poluição hídrica; Autodepuração

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/cienciaanimal.v7i2.9840

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Acadêmica: Ciência Animal