Grãos secos de destilaria de milho na recria de codornas japonesas e sua repercussão na fase de produção

Elieverson Firmiani de Freitas Amaral, Tatiana Marques Bittencourt, Heder José D'Avila Lima, Caio Silva Quirino, Isabelli Dias Brito Pereira, Cárita Maria Magalhães de Amorim

Resumo


Objetivou-se avaliar a repercussão na fase de postura da utilização de diferentes níveis de inclusão de grãos secos de destilaria (DDG) de milho na dieta de codornas japonesas (Coturnix japonica) nas fases de cria e recria. Foram utilizadas 240 codornas japonesas distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, mantendo as mesmas aves utilizadas na fase de crescimento (dieta com 0%, 5%, 10%, 15% e 20% de inclusão de DDG), com cinco tratamentos, seis repetições e oito codornas por unidade experimental. Todas as aves receberam a mesma ração à base de milho e soja. As variáveis avaliadas foram: produção de ovos, consumo de ração, conversão alimentar, peso do ovo, porcentagem dos componentes (gema, casca e albúmen), altura da gema e albúmen, gravidade específica e viabilidade das aves. Os dados foram submetidos à análise pelos modelos de regressão linear e quadrática, a 5% de probabilidade, e pelo teste de Dunnet a 5% de probabilidade. Não foram observadas diferenças significativas (p > 0,05) para os parâmetros de produção e qualidade do ovo em função dos níveis de DDG utilizados na fase de crescimento. A inclusão do DDG de milho na dieta de codornas japonesas na fase de crescimento não foi capaz de influenciar o desempenho e qualidade dos ovos na fase de postura.


Palavras-chave


Avicultura. Desempenho. Qualidade. DDG.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/acad.2021.19008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Revista Acadêmica Ciência Animal