Uso dos condroprotetores na afecção articular degenerativa: revisão

Alexandre Navarro Alves de Souza, Alexandre de Oliveira Saladino, Caio Biasi, Julia Maria Matera

Resumo


Esta revisão teve como objetivo elucidar e verificar o uso de condroprotetores comumente utilizados no tratamento conservativo para afecções articulares degenerativas em cães. Os critérios de inclusão se concentraram em estudos que avaliaram os condroprotetores mais empregados, como sulfato de condroitina e glucosamina, publicados em revistas científicas. Constatou-se a comprovação experimental da ação dos condroprotetores em alguns dos trabalhos prospectivos analisados, bem como uma divergência entre os demais. A segurança dessa medicação foi avaliada em dois estudos, porém nenhuma das demais pesquisas constatou efeitos adversos importantes. Os condroprotetores mostram boa segurança e efeitos benéficos sobre o metabolismo articular. No entanto, a eficácia clínica permanece discutível graças à metodologia diversificada empregada nos trabalhos científicos.

Palavras-chave


Afecção articular degenerativa; Cão; Condroprotetores

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/cienciaanimal.v8i3.10886

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Acadêmica: Ciência Animal