Fundamentalismo religioso e político na pandemia: “é isso mesmo”, “e daí?” | Religious and political fundamentalism in the pandemic: “that is it”, “so what?”

Catiane Souza, Priscila Chéquer

Resumo


O principal objetivo deste artigo é discutir sobre o fundamentalismo religioso enquanto emblema de posições políticas durante o período da pandemia no contexto brasileiro. Nesse intuito, inicialmente apresentamos a compreensão do fundamentalismo religioso, comentando os efeitos de sentidos que circulam em plataformas midiáticas do Brasil. Na sequência, analisamos um pronunciamento do Presidente Jair Bolsonaro. Para isso, nos apropriamos da noção de Formações Imaginárias, conceito teórico/analítico da Análise do Discurso da escola francesa. No terceiro item do artigo, ressaltamos os mecanismos que significam a ciência e a mídia como inimigas, sobretudo, em plena pandemia da COVID-19. No último item de discussão, refletimos sobre a circulação midiática de fake news que sustentam valores do fundamentalismo político-religioso. A aceleração da capacidade de circulação midiática, no cenário político de negacionismo científico, desvalorização da imprensa e imposição dos valores ultra tradicionais, destaca novos aspectos dos discursos fundamentalistas que contribuem para a ascensão e manutenção de um governo com tendência ao autoritarismo. Por fim, destacamos as reverberações sobre mídia e ciência identificadas nesse breve estudo como alvo de maior descrédito entre parcelas dos evangélicos e dos católicos.

 

Abstract
The main objective of this article is to discuss religious fundamentalism as an emblem of political positions during the pandemic period in the Brazilian context. In this regard, we initially presented the understanding of religious fundamentalism, commenting on the effects of meanings that circulate in Brazilian media platforms. Following this, we analyzed a statement by President Jair Bolsonaro. For this, we appropriated the notion of imaginary formations, a theoretical/analytical concept of the French School’s Discourse Analysis. In the third item of the article, we highlight the mechanisms that turn science and the media as enemies, above all, in the middle of the Covid-19 pandemic. In the last item of discussion, we reflected on the media circulation of fake news that support values of political-religious fundamentalism. The acceleration of the capacity of media circulation, in the political scenario of scientific denialism, devaluation of the press and imposition of ultra traditional values, highlights new aspects of fundamentalist discourses that contribute to the rise and maintenance of a government with a tendency towards authoritarianism. Finally, we highlight the reverberations on media and science identified in this brief study as the target of greater discredit among parcels of Evangelicals and Catholics.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Fernando. A Cultura Brasileira. (Os Fundadores da USP, I). 7.ed. São Paulo-SP: Editora da Universidade de São Paulo, 2010.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e Holocausto. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.

BORGES, Helena. O exército de Pinóquios. Época, 2018. Disponível em https://epoca.globo.com/brasil/noticia/2018/04/o-exercito-de-pinoquios.html. Acesso em 01 jul 2020.

CARRANZA, Brenda. O Brasil, fundamentalista? Revista Encontros Teológicos, Ano 24, n. 52, p. 147-166, 2009.

COALIZÃO PELO EVANGELHO. Pela Pacificação da Nação em Meio à Pandemia. 4 mai. 2020. Disponível em: https://coalizaopeloevangelho.org/article/pela-pacificacao-da-nacao-em-meio-a-pandemia/. Acesso em: 10, nov. 2020.

COLETIVO BEREIA. Proposta Bereia. Bereia – Informação e Checagem de Notícias. Disponível em https://coletivobereia.com.br/proposta-bereia/. Acesso em: 10, nov. 2020.

CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. Cuidado com a fake news gospel. Disponível em http://convencaobatistabrasileira.com.br/siteNovo/pagina.php?ART_ID=38. Acesso em: 10, nov. 2020.

CUNHA, Magali do Nascimento. Do Púlpito às Mídias Sociais: Evangélicos na política e ativismo digital. Curitiba: Prismas, 2017.

FAUSTO NETO, Antonio. AD. Rumos de uma nova analítica. In: FERREIRA, G. M., SAMPAIO, A. & FAUSTO NETO, A. (orgs.). Mídia, discurso e sentido. Salvador: EDUFBA, 2011. p. 27-42.

MACEDO, Isabella. Das 123 fake news encontradas por agências de checagem, 104 beneficiaram Bolsonaro. UOL, 2018. Disponível em https://congressoemfoco.uol.com.br/eleicoes/das-123-fake-news-encontradas-por-agencias-de-checagem-104-beneficiaram-bolsonaro/. Acesso em: 10 nov. 2020.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Razón técnica y razón política: espacios/tempos no pensados. Revista Latino-americana de Ciências da Comunicação, v.12, n. 23, p. 22-37, 2003.

milhões de brasileiros acreditam que a Terra é plana, diz Datafolha. Istoé, 2020. Disponível em https://istoe.com.br/para-milhoes-de-brasileiros-a-terra-e-plana/. Acesso em: 10 nov. 2020.

ORLANDI, Eni. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6ª ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2007.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). Trad. E. P. Orlandi. In: GADET, F. & HAK, T. (orgs.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1997, p. 61-161.

PENNAFORT, Roberta. É #FAKE que enxofre destrua o coronavírus. G1, 2020. Disponível em https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/06/09/e-fake-que-enxofre-destrua-o-coronavirus.ghtml. Acesso em: 10, nov. 2020.

REDAÇÃO. Seita responde por 73% de casos de Coronavirus da Coreia do Sul. Veja, 2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/mundo/seita-responde-por-73-de-casos-de-coronavirus-da-coreia-do-sul/. Acesso em: 10, nov. 2020.

RODRIGUES, Elton e BISPO, Jemima. É verdade que Fabiana Anastácio negou o risco de ser infectada pela COVID-19. Bereia – Informação e Checagem de Notícias, 2020. Disponível em https://coletivobereia.com.br/e-verdade-que-fabiana-anastacio-negou-o-risco-de-ser-infectada-pela-covid-19/. Acesso em: 10 nov. 2020.

SODRÉ, Muniz. Antropológica do Espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. 6ªed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SOUZA, Catiane Rocha Passos de. “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm”: Efeitos de sentido do processo de midiatização da/na religiosidade pentecostal brasileira. MATOS, Rita de Cássia Aragão. (Orientadora). Tese (doutorado) - Universidade Federal da Bahia, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, Salvador, 2017.

VERÓN, Eliseo. La Semiosis Social 2: ideas, momentos, interpretantes. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Paidós, 2013.

WEBER, Max. Ensaios de Sociologia. Organização e Introdução: H. H. Gerth e C. Wright Mills. 5ª edição. Tradução: Waltensir Dutra. Rev. Prof. Fernando Henrique Cardoso. Rio de Janeiro: LTC — Livros Técnicos e Científicos Editora, 1982.




DOI: https://doi.org/10.7213/2318-8065.05.02.p123-137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O Caderno Teológico segue uma atribuição CC-BY Creative Commons 4.0