Os “padres novos” no Brasil. Aspectos históricos e formação identitária

Alzirinha R. Souza

Resumo


O processo de formação presbiteral foi e sempre será uma questão fundamental na Igreja em seus aspectos humanos, identitários e históricos. Este texto propõe uma reflexão histórico-teológica sobre as questões perenes que permeiam a formação presbiteral de todos os tempos, trazidas à tona, mais uma vez, pela pesquisa sobre o perfil dos “padres novos” no Brasil, notadamente em relação aos dados levantados relativos ao processo de formação dos presbíteros e as motivações vocacionais. Três das dez questões concernentes à vida e o exercício do ministério dos presbíteros estão aqui em pauta: 1. Como anda o processo de formação dos futuros presbíteros hoje; 2. O que parece motivar um jovem ser padre hoje; 3. O que parece desmotivar um jovem ser padre hoje. O texto está organizado em três momentos: no primeiro, faz-se uma apresentação dos dados levantados; no segundo, uma análise preliminar dos mesmos; no terceiro, se apresenta algumas considerações de caráter teológico-pastoral em relação à formação presbiteral, a partir dos elementos-chave de maior incidência nas respostas às três perguntas em questão.


Palavras-chave


Eclesiologia; Ministérios. Formação presbiteral; Identidade; Padres novos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.03.DS01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.