Tradições religiosas: monoteísmos e fraternidade universal

Francisco Chagas De Albuquerque

Resumo


Neste artigo trata-se da importância das religiões monoteístas e da possibilidade e necessidade de sua contribuição para que a humanidade desperte e se comprometa com a busca da fraternidade universal. Sustenta-se que nos genuínos valores do judaísmo, cristianismo e islamismo existem elementos que levam seus adeptos praticantes a despertarem para o compromisso com a fraternidade entre todos os seres humanos e povos. Uma vez que o lugar dessa reflexão é o cristianismo, apresenta-se o ensino social do Papa Francisco como contribuição para essa empreitada como sonho lúcido a ser alcançado. Na abordagem consideram-se aspectos filosófico-religiosos e antropológico-religioso; identificam-se as religiões como mediações histórico-culturais da relação do ser humano com o Transcendente; as reflexões das encíclicas Laudato si e Fratelli tutti são propostas como contributo do cristianismo para construção da fraternidade universal.

 


Palavras-chave


Tradições religiosas. Monoteísmos. Dignidade humana. Fraternidade universal.

Texto completo:

PDF

Referências


ARMSTRONG, K. Uma história de Deus: quatro milênios de busca do judaísmo, cristianismo e islamismo. São Paulo: Schwarcz, 1994.

BORGMAN, E. Religião e herança. Breve ensaio introdutório. Concilium, v. 330, n. 2, p. 5-14, 2009.

DAWSON, C. Inquéritos sobre religião e cultura. São Paulo: Realizações, 2017.

ELLACURÍA, I. Filosofía de la realidad histórica. San Salvador: UCA Editores, 2007.

FRANÇA MIRANDA, M. de. O cristianismo em face das religiões. São Paulo: Loyola, 1998.

FRANCISCO, Papa. Carta encíclica Fratelli tutti sobre a amizade e a fraternidade social. São Paulo: Loyola, 2020.

FRANCISCO, Papa. Carta encíclica Laudato si’ do Santo Padre Francisco sobre o cuidado da casa comum. São Paulo: Loyola, 2015.

GARCÍA, D. Religión y religación en Zubiri. In: FRAIJÓ, M. (Ed.). Filosofía de la religión: estudios y textos. Madrid: Trotta, 2010. p. 491-512.

KÜNG, H. Projeto de ética mundial: uma moral ecumênica em vista da sobrevivência humana. São Paulo: Paulinas, 2001.

KÜNG, H. Religiões do mundo: em busca dos pontos comuns. Campinas: Verus, 2004.

LAWRENCE, B. B. O Corão: uma biografia. Rio de Janeiro: Zaar, 2006.

MESLIN, M. A experiência humana do divino: fundamentos de uma antropologia religiosa. Petrópolis: Vozes, 1992.

OLIVEIRA, M. A. de. A religião na sociedade urbana e pluralista. São Paulo: Paulus, 2013.

PETERS, F. E. Os monoteístas: judeus, cristãos e muçulmanos em conflito e competição. São Paulo: Contexto, 2008.

PIKAZA IBARRONDO, X. Monoteísmo y globalización: Mosés, Jesús, Mohama. Estella: Verbo Divino, 2002.

PIZZETTE NUNES, F.; PILATI, J. I. A fraternidade como princípio ético necessário para uma nova práxis coletiva e emancipatória em direitos humanos. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM, v. 9, n. 2, 2014.

ROCA ALACAZAR, F. El Sínodo Amazónico, la Amazonía y la Iglesia. Perspectiva Teológica, v. 51, n. 1, p. 55-67, 2019.

TORRES QUEIRUGA, A. Filosofía de la Religión em Xavier Zubiri. Valencia: Tirant lo Blanch, 2005.

TORRES QUEIRUGA, A. Monoteísmo e violência versus monoteísmo e fraternidade universal. Concilium, v. 332, v. 4, p. 65-77, 2020.

VOGEL, M. Conceitos judaicos de Deus. Concilium, v. 123, p. 43-52, 1977. ZUBIRI, X. El hombre y Dios. Madrid: Editorial Alianza, 1985.

ZUBIRI, X. El problema filosófico de la historia de las religiones. Madrid: Editorial Alianza, 2006.




DOI: https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.002.AO04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.