É desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.espec.DS12

Palavras-chave:

Hadewijch da Antuérpia. Martin Heidegger. Minne Medieval. Experiência mística.

Resumo

Hadewijch dialoga com os pensadores do patrimônio medieval cristão de maneira íntima, dada a sua erudição, ousando inserir aspectos absolutos em sua experiência, oferecendo, em sua obra, a possibilidade de uma hermenêutica feminina do Amor, a Minne medieval, que sustenta uma vida de ser Deus com Deus, não sem antes atravessar uma fisiologia humana e natural que sobrevive à dissolução de si mesma. Para tanto, pretende-se fazer uso dos Fundamentos filosóficos da mística medieval (1919/1920), de Martin Heidegger, para abordar fenomenologicamente a experiência mística de Hadewijch da Antuérpia, sem pretender com isso desmistificar a mística, ou seja, aceitá-la como um objeto de pesquisa filosófica, mas encontrar nessa experiência da Presença de Deus que a beguina da Antuérpia experimenta e relata, um solo de abertura para a realização prévia da experiência fundamental. A indagação filosófica de Hadewijch a Heidegger está implícita em sua experiência humana com Deus como aquela que é origem do próprio filosofar porque ela enfrenta a derrota da razão nesse empreendimento poético, visionário e epistolar. A mística, enquanto objeto de pesquisa, será sempre uma crítica à ciência porque não se deixa capturar pela construção teórica, pois é absorvida pelo indelével, pelo indizível e por desdobramentos filosóficos amplos demais que vão desde a conduta reta dos ímpios ou o desejo ao bem — o único e o maior bem —, ao próprio niilismo que aponta para o Amor, não somente como o êxtase desejado e alcançado, mas com seu maior desdobramento em ser autêntico e revelador da realidade humana exilada no Amor por causa do Amor. É desse Amor que ela sofre.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José Caldeira do Amaral, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Ciências da Religião (PUC-SP) com estágio pós-doutoral em Teologia (PUC-PR). Coordenadora do Grupo de Pesquisa "A experiência mística e o conhecimento" (LABO/FUNDASP/PUC-SP).

Alex Villas Boas, Universidade Católica Portuguesa

Investigador principal e coordenador executivo do CITER (Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião), da Universidade Católica Portuguesa. É professor convidado do Programa de Pós-Graduação em Teologia da PUC-PR.

Luís Gabriel Provinciatto, Universidade Federal de Juiz de Fora / Universidade de Évora

Doutorando em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora com bolsa de financiamento CAPES e em Filosofia pela Universidade de Évora com bolsa de mérito científico para estudantes internacionais. Mestre em Ciências da Religião e licenciado em Filosofia, ambos pela PUC-Campinas.

Referências

AMARAL, M. J. C. Eros e ágape – Minne: Amar e Desejar Deus na luz Fluente da Deidade de Mechthild de Magdeburg. São Paulo: Reflexão, 2014.

ARRIEN, S. J. Foi et indication formelle. Heidegger, lecteur de saint Paul (1920-1921). In: ARRIEN, S. J.; CAMILLERI, S. Le jeune Heidegger 1909-1926: herméneutique, phénoménologie, théologie. Paris : J. Vrin, 2011. p. 155-172.

CAMILLERI, S. Phénoménologie de la religion et herméneutique théologique dans la pensée du jeune Heidegger: commentaire analytique des Fondements philosophiques de la mystique médiévale (1916-1919). Dortrecht: Springer, 2008.

CERTEAU, M. La Fable Mystique: XVI–XVII siècle. Paris: Gallimard, 1982.

CIRLOT, V.; GARÍ, B. La Mirada Interior/escritoras místicas e visionarias en la Edad Media. Barcelona: Ediciones Martínez Roca, 1999.

HADEWIJCH DE AMBERES. Deus, Amor e Amante. Trad. Roque Frangiotti. Cartas traduzidas do antigo médio-neerlandês e apresentadas por Pablo Maria Bernardo sob o título: Dios, amor y amante. São Paulo: Paulinas, 1989. (Série Espiritualidade).

HADEWIJCH DE AMBERES. Visiones. Ed. Trad. María Tabuyo Ortega. Barcelona: José J. de Olañeta, 2005.

HADEWIJCH. The Complete Works. The Classics of Western Spirituality/A Library of the Great Spiritual Masters: Translation and Introduction by Mother Columba Hart, O.S.B. Mahwah: Paulist Press, 1980.

HEIDEGGER, M. Die philosophischen Grundlagen der mittelalterlichen Mystik. In: HEIDEGGER, M. Phänomenologie des religiösen Lebens. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1995. p. 303-337.

HEIDEGGER, M. Grundprobleme der Phänomenologie (1919/20). Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1993a.

HEIDEGGER, M. Phänomenologie der Anschauung und des Ausdrucks: Theorie der philosophischen Begriffsbildung. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1993b.

KIRCHNER, R. A intimidade da experiência religiosa: uma aproximação fenomenológica da mística de Bernardo de Claraval. Pistis & Praxis: teologia e pastoral, v. 8, n. 2, p. 307-336, 2016.

McGINN, B.; McGINN, P. F. La Transformation em Dieu/Douze grands mystiques. Paris: Les Éditions du Cerf, 2006

McGINN, B. The Flowering of Mysticism: Men and Women in the New Mysticism (1200-1350). New York: Crossroad, 1998. (The presence of God: A history of Western Christian Mysticism, v. III).

MEISTER ECKHART. Sermões alemães. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco; Petrópolis: Vozes, 2006.

MOMMAERS, P. S. J. Preface. In: HADEWIJCH. The Complete Works. The Classics of Western Spirituality/A Library of the Great Spiritual Masters: Translation and Introduction by Mother Columba Hart, O.S.B. Mahwah: Paulist Press, 1980. p. XIII-XXIV.

RUH, K. Geschichte der abendländischen Mystik: Frauenmystik und Franziskanische Mystik der Frühzeit. Bd. 2 Munich: Beck, 1993.

SANTOS, B. S. “Hodie legimus in libro experientiae”. A apropriação heideggeriana da fórmula de Bernardo de Claraval. Trans/form/ação, v. 39, n. 3, p. 101-120, 2016a.

SANTOS, B. S. Martin Heidegger e a mística medieval: em busca de uma compreensão fenomenológica. Síntese, v. 43, n. 136, p. 279-304, 2016b.

VAUCHEZ, A. Saints, Prophètes et Visionnaires : Le pouvoir surnaturel au Moyen Age. Paris: Albin Michel, 1999.

VEDDER, B. Heidegger’s Philosophy of Religion: from God to the Gods. Pittsburgh: Duquesne University Press, 2006.

ZUM BRUNN, É.; ÉPINEY-BURGARD, G. Women Mystics in Medieval Europe. Saint Paul: Paragon House, 1989.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

Amaral, M. J. C. do, Villas Boas, A., & Provinciatto, L. G. (2021). É desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia. Revista Pistis Praxis, 13. https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.espec.DS12