Teologia em tempos de HIV/Aids: dilemas e proposições

Autores

  • Clélia Peretti Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

DOI:

https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.6040

Palavras-chave:

Teologia. Políticas públicas. Saúde. Cuidado. HIV/AIDS.

Resumo

ste artigo propõe uma reflexão fenomenológico-teológica sobre o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e sobre a doença que ele causa, a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), a partir de intervenções realizadas por agentes da Pastoral da Aids na Arquidiocese de Curitiba e por profissionais da saúde no Grupo de Adesão ao Tratamento do HIV/Aids do Hospital de Clínicas do Paraná (Brasil). O estudo faz uma análise dos dilemas que se apresentam às políticas públicas brasileiras de enfrentamento à síndrome e discute os sentidos e os significados atribuídos à vivência da soropositividade nas suas dimensões pessoal e comunitária. Aborda as distintas faces do HIV/Aids, a feminização, a juvenização, a pauperização, a interiorização, seus reflexos no cenário brasileiro e a necessidade de um conceito de saúde voltado para a pessoa humana na sua totalidade e não somente para suas patologias. O fenômeno HIV/Aids é compreendido na sua dimensão ontoteológica, o que possibilita uma reflexão sobre o cuidado (cura) integral. Apresenta uma Teologia em movimento, preocupada com a reconstrução da pessoa humana a partir da sua imanência e transcendência. A Teologia aqui proposta tem seu fundamento bíblico-teolológico no Evangelho de João.Na imagem joanina do “Deus vivo e verdadeiro” (Jo, 6:57), fundamentamos a nova geração da pessoa humana acometida pela soropositividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clélia Peretti, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia São Leopoldo, RS, Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), professora do Programa de Pós-Graduação –Mestrado em Teologia – e do Bacharelado em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR

Referências

ALES BELLO, A. A fenomenologia do ser humano. Tradução de Antonio Angonese. Bauru, São Paulo: EDUSC, 2000.

ALVES, R. O enigma da religião. Campinas: Papirus, 1984.

BAYÉS, R. Psiconeuroinmunologia, salud y enfermedad. Cuadernos de Medicina Psicosomática, v. 30, p. 28-34, 1994.

BOFF, L. Saber cuidar: ética do humano. Compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SÁUDE. Boletim Epidemiológico - AIDS/DST. ano III, n. 1, 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a julho de 2006. Brasília. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/taxonomy/term/boletimepidemiologico>. Acesso em: 20 jun. 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SÁUDE. Boletim Epidemiológico - AIDS/DST, v. 5, n. 1, 2008. Brasília. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/sites/default/files/ Boletim2008_versao1_6.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro. Notícias, 18 jun. 2009. Disponível em: <http://portal.saude. gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_ area=124&CO_NOTICIA=10326>. Acesso em: 2 jun. 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde - Departamento de DST. AIDS e Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico, AIDS e DST, Brasília, v. 7, n. 1 p. 6, 2010a.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. semanas epidemiológicas janeiro a junho. Boletim Epidemiológico - AIDS e DST, v. 7, n. 1, 2010b. Brasília, Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pagina/aids-no-brasil>. Acesso em: 20 jun. 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. 2010.

Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2011.

CALVETTI, P. Ü. Fatores biopsicossociais preditivos para a adesão e qualidade de vida em pessoas que vivem com HIV/AIDS bem-sucedidas no tratamento de saúde. 2010. 73 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

CURITIBA. Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba. Blitz de prevenção à AIDS e dengue na Rodoviária, dia 4 mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2011.

FARIA, A.; VAZ, N. M. AIDS: sintomas de uma crise médica. In: FARIA, A.; VAZ, N. M. AIDS: ética, medicina e biotecnologia. Rio de Janeiro: Hucitec; Abrasco, 1995.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

GLOBO. UNAIDS e o cenário da AIDS/HIV no Brasil. Sexta-feira, 17 de junho de 2011. Disponível em: <http://alcymartins.blogspot.com/2011/06/unaids-e-o-cenario-da-aidshiv-no-brasil_17.html>. Acesso em: 24 jun. 2011.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes, 1989.

KERN, F. A. Redes de apoio no contexto da AIDS: um retorno para a vida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

LEVINAS, E. Totalidade e infinito. Tradução de José Pinto Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 1988.

MADEIRA, M. C. A confiança afrontada: representações sociais da AIDS para jovens. In: MADEIRA, M.; JODELET, D. (Org.). AIDS e representações sociais: à busca de sentidos. Natal: EDUFRN, 1998. p. 47-72.

MARTIN, D. Mulheres e AIDS: uma abordagem antropológica. Revista USP, n. 33, p. 89-101, 1997.

MERLEAU-PONTY, M. Merleau-Ponty na Sorbonne: resumo de cursos psicossociologia e filosofia. Campinas: Papirus, 1990.

MONTEIRO, S. S. AIDS e proteção: a visão de jovens de um bairro popular. Revista de Estudos Feministas, ano 7, p. 72-88, 1999a.

MONTEIRO, S. S. AIDS, sexualidade e gênero: a lógica da proteção entre jovens de um Bairro Popular Carioca. 1999. 186 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública, FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 1999b.

MOTTA, A. B. Chegando pra idade. In: LINS DE BARROS, M. M. (Org.). Velhice ou Terceira Idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2003. p. 223-235.

PAGOLA, J. A. Jesus: aproximação histórica. Tradução de Gentil Avelino Titton. Petrópolis: Vozes, 2010.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Saúde. Plano de enfrentamento da feminização da epidemia da AIDS no Paraná. Curitiba: SESA, 2009.

PAIVA, V. O simbolismo da AIDS, alteridade e cidadania. In: PAIVA, V. (Org.). Em tempos de AIDS: viva a vida: sexo seguro, prevenção, drogas, adolescentes, mulheres, apoio psicológico aos portadores. São Paulo: Summus, 1992. p. 53-62.

PARKER, R. Na contramão da AIDS: sexualidade, intervenção, política. Rio de Janeiro: ABIA; Editora 34, 2000.

PARKER, R.; HERDT, G.; CARBALLO, M. Cultura sexual, transmissão do HIV e pesquisas sobre AIDS. In: CZERESNIA, D. et al. (Org.). AIDS: pesquisa social e educação. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: ABRASCO, 1995. p. 17-45.

PERETTI, C. L’empatia nel rapporto interpersonale in Edith Edith

Stein. Pontificium Athenaeum Antonianum. Institutum Superius Scientiarum Religiosarum, “Redemptor Hominis”. 1997. Dissertatio (Gradum Magisterii) – Pontificium Athenaeum Antonianum, Romae, 1997.

PERETTI, C. Edith Stein e as questões de gênero: perspectiva fenomenológica e teológica. 2009. 302 f. Tese (Doutorado em Teologia) – Escola Superior de Teologia, EST, São Leopoldo, 2009.

SCHNELLE, U. Teologia do novo testamento. São Paulo: Academia Cristã; Paulus, 2010.

SILVA, M. A. M. O. Velhos de rua no Brasil: a morte silenciosa. A Terceira Idade, São Paulo, v. 9, n. 12, p. 35-43, 1996.

STEIN, E. Psicologia e scienze dello spirito: contributi per una fondazione filosófica. 2ª ed. Traduzione A. M. Pezzella. Roma: Cittá Nuova, 1999.

TURA, L. F. R. A AIDS, o preservativo e a prevenção”. In: JORNADA

INTERNACIONAL SOBRE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: TEORIA E CAMPO

DE APLICAÇÃO, 1., 1998, Natal. Anais... Natal: Jornada Internacional sobre Representações Sociais: Teoria e Campo de Aplicação, 1998. p. 38.

ULLA, S.; REMOR, E. A. Psiconeuroimunologia e infecção por HIV: realidade ou Ficção? Psicologia Reflexão e Crítica, v. 15, n. 1, p. 113-119, 2002.

Downloads

Publicado

2012-10-06

Como Citar

Peretti, C. (2012). Teologia em tempos de HIV/Aids: dilemas e proposições. Revista Pistis Praxis, 4(1), 63–86. https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.6040

Edição

Seção

Dossiê