TEOLOGIA E PEDAGOGIA – SOB A ÓTICA DA “GRAÇA E CRUZ”: desafios para uma pastoral

Autores

  • Manfredo Carlos Wachs Escola Superior de Teologia

DOI:

https://doi.org/10.7213/pp.v1i1.10742

Palavras-chave:

Relação teologia e pedagogia, Graça e cruz, Teologias luteranas, Hermenêutica ricoeuriana, Pedagogia freireana.

Resumo

O artigo realiza um diálogo entre teologia e pedagogia tendo como referencial básico a teologia da “graça e cruz” e como parceiros a teologia luterana, a hermenêutica de Paul Ricoeur e a pedagogia de Paulo Freire. Estes três parceiros estão presentes em todo o texto e, ao mesmo tempo, se sobressaem em algumas partes. No início o texto apresenta, de forma sintética, uma reflexão sobre a dimensão interdisciplinar que fundamenta a inter-relação entre teologia e pedagogia, destacando a idéia: “é necessário um diálogo franco, aberto e crítico onde se quer perceber o quanto de pedagógico está inserido na reflexão teológica e o quanto de teológico está embutido em determinada concepção pedagógica”. O texto destaca a “tríade” da educação, filosofia e teologia presente no pensamento de Comenius e reflete sobre a “tríade antropológica” de Paulo Freire, que contém uma forte dimensão teológica. Perpassa e transpassa todo texto uma reflexão sobre a teologia da cruz em que transparece a dimensão confessional do autor e revela uma perspectiva ecumênica e dialógica. Na leitura do texto fica evidente que a teologia da cruz influencia a interpretação da hermenêutica de Paul Ricoeur e da pedagogia de Paulo Freire e, ao mesmo tempo, a teologia luterana é reinterpretada pelo pensamento freireano. Assim, o próprio texto pretende ser, dentro dos seus limites e de suas características, uma intersecção dialógica e crítica entre as diversas ciências do conhecimento humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manfredo Carlos Wachs, Escola Superior de Teologia

Professor da Escola Superior de Teologia - EST - São Leopoldo/RS - Brasil, na área de Concentração Religião e Educação e professor do Instituto Superior de Educação Ivoti - ISEI, na área de formação de professores, Membro do Grupo de Pesquisa “Currículo, identidade religiosa e práxis educativa” da EST e do Grupo de Pesquisa “processos de ensino e aprendizagem” do ISEI, Membro do Conselho de Educação da Rede Sinodal de Educação, Ivoti, RS - Brasil 

Referências

BOFF, L. O despertar da águia: o diabólico e o simbólico na construção da realidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

BROWNING, D. Religious as growth in practical theological reflection and action. In: BOYS, M. C. Education for citizenship and discipleship. New York: Pilgrim, 1989. p. 133-136.

COMENIO, J. A. Didactica magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

COVELLO, S. C. Comenius: a construção da pedagogia. São Paulo: SERPAC, 1991.

FRAAS, H. J. Glauben und Lernen. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 1978.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia como ciência da educação. Campinas: Papirus, 2003.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971.

______. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1992.

MUELLER, E. R. A teologia e seu estatuto teórico: contribuições para uma discussão atual na universidade brasileira. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 47, n. 2, p. 88-103, 2007.

RICOEUR, P. O conflito das interpretações: ensaios hermenêuticos. Tradução de Hilton Japiassu. Rio de Janeiro: Imago, 1978.

SINNER, R. von. Teologia como ciência. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 47, n. 2, p. 57-66, 2007.

TILLICH, P. Teologia sistemática. 5. ed. São Leopoldo: Sinodal, 2005.

ZABATIERO, J. P. T. Do estatuto acadêmico da teologia: pistas para a solução de um problema complexo. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 47, n. 2, p. 67-87, 2007.

Downloads

Publicado

2009-09-14

Como Citar

Wachs, M. C. (2009). TEOLOGIA E PEDAGOGIA – SOB A ÓTICA DA “GRAÇA E CRUZ”: desafios para uma pastoral. Revista Pistis Praxis, 1(1), 71–85. https://doi.org/10.7213/pp.v1i1.10742