O estresse entre vestibulandos e suas relações com a família e a escolha profissional

Rafaela Roman de Faria, Lidia Natalia Dobrianskyj Weber, Cláudia Tucunduva Ton

Resumo


O estresse é um tema bastante estudado por pesquisadores de diferentes áreas, contudo, apesar de crescente, ainda é escassa a literatura voltada ao estresse na adolescência e no processo de Orientação Profissional. Os fatores como cobranças em relação à escolha da profissão, aprovação no vestibular, o início do planejamento da carreira, além das mudanças físicas e psicológicas, bem como as expectativas da família e seus próprios anseios podem contribuir para a manifestação de sintomas de estresse. A presente pesquisa teve como objetivos identificar a presença de estresse em jovens em preparação para o vestibular e relacionar com variáveis do contexto familiar e demográficas. Os participantes foram 268 alunos do terceiro ano do ensino médio e curso pré-vestibular, de escolas públicas e privadas, de ambos os sexos, com idade de 16 a 24 anos, da cidade de Curitiba. Para coleta de dados, realizada em sala de aula, foram respondidos os seguintes instrumentos: Escalas de Práticas Parentais, o Inventário de Sintomas de Stress Para Adultos de Lipp (ISSL), questionário de identificação sociodemográfica elaborado com base na literatura e o Critério de Classificação Econômica Brasil. Os resultados, dos dados coletados pelo ISSL, indicam que as respostas de 62% dos participantes indicavam estresse, com média de 5,45 (máximo de 10 pontos e desvio padrão de 2,85). Os resultados apontam que os fatores que mais contribuem para o estresse destes jovens são: estudos (38%) família (24%) e o vestibular (19%). Considerando esses dados, verifica-se a importância de incluir esta temática nos processos de orientação profissional, uma vez que o estresse, quando não administrado de maneira eficaz, pode trazer prejuízos acadêmicos, sociais, psicológicos e físicos para o indivíduo.

Palavras-chave


Estresse. Orientação vocacional. Educação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/psicol.argum.5883

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat