TEOLOGIA DA TRADIÇÃO ORAL: UMA QUESTÃO PARA AS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS

Autores

  • João Luiz Carneiro
  • Maria Elise Rivas

DOI:

https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.6116

Palavras-chave:

F. Rivas Neto, Religiões afro-brasileiras, Teologia com ênfase nas religiões afro-brasileiras, Tempo mítico, Tradição oral.

Resumo

A relação sujeito-objeto se diferencia em cada uma das formas de transmissão de conhecimento,seja oral ou escrita, o que – para o estudo da Religião – denota uma unidade(homem religioso) expressa na diversidade (tradição oral e escrita). Tais aproximações econtrastes serão discutidos sob a ótica da Teologia com ênfase nas religiões afro-brasileiras em F. Rivas Neto considerando a Vertente Una do Sagrado, tempo mítico (circularidade),ancestralidade (primordial), senioridade, memória (inconsciente), linguagem simbólica(sentidos) e Comunidade. A Teologia aqui apresentada está em contato direto com a Ciência da Religião, Antropologia, Sociologia, História, Filosofia e essa característica multidisciplinar é chave importante para compreensão do objeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARNEIRO, J. L. A. Cidadão religioso e cidadão secular: uma possibilidade de diálogo na esfera pública em Habermas. 2010. 118 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 2010.

CROATTO, S. El estudio de la religion. Madrid: Trotta, 2002. Enciclopédia Iberoamericana de Religions.

DEBRAY, R. Curso de midiologia geral. Petrópolis: Vozes, 1993.

DEFLEUR, M. L.; BALL-ROKEACH, S. Teorias da comunicação de massa. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1993.

DURKHEIM, É. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: M. Fontes, 1996.

FREUD, S. Carta 52 in obras completas. Rio de Janeiro: Imago, 1969. v. 1.

GOODY, J. The interface between the written and the oral. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

HABERMAS, J. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003a. HABERMAS, J. Direito e democracia. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003b.

LACOSTE, J. Dicionário crítico de Teologia. São Paulo: Loyola, 2004.

PESSOA DE BARROS, J. F.; VOGEL, A.; MELLO, M. A. S. A Galinha d’Angola: iniciação e identidade na Cultura Afro-brasileira. Rio de Janeiro: Pallas, 1993.

RIVAS, M. E. Tradição oral: o silêncio da camarinha, a fala do inconsciente. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI/, 4., CONGRESSO INTERNACIONAL DAS RELIGIÕES AFRO-AMERICANAS, 1., 2011, São Paulo. Anais... São Paulo: Congresso Brasileiro de Umbanda, 2011.

RIVAS NETO, F. Sacerdote, mago e médico: cura e autocura umbandista. São Paulo: Ícone, 2003.

RIVAS NETO, F. Espiritualidade e ciência na Teologia das religiões Afro- -brasileiras. São Paulo: FTU, 2010a.

RIVAS NETO, F. Introdução à medicina complementar. 2010b. Disponível em: <http://sacerdotemedico.blogspot.com/2010/03/introducao-medicina-complementar.html>. Acesso em: 17 jun. 2011.

RIVAS NETO, F. Exu: o grande Arcano. São Paulo: Ayom, 2011.

SANTAELLA, L. A teoria geral dos signos: semiose e autogeração. São Paulo: Ática, 1995.

TAVRIS, C. Hysteria and the incest-survivor machine. Sacramento Bee: Forum, 1993.

THEISSEN, G. A religião dos primeiros cristãos: uma teoria do cristianismo primitivo. São Paulo: Paulinas, 2009.

Downloads

Publicado

2012-10-06

Como Citar

Carneiro, J. L., & Rivas, M. E. (2012). TEOLOGIA DA TRADIÇÃO ORAL: UMA QUESTÃO PARA AS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS. Revista Pistis Praxis, 4(2), 609–624. https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.6116

Edição

Seção

Artigos