Teologia da compaixão com os animais: a prática de Jesus

Autores

  • Jerson José Darif Palhano
  • Mário Antonio Sanches Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

DOI:

https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.7679

Palavras-chave:

Teologia, Animais não humanos, Sacrifício pascal, Bioética.

Resumo

As gerações atuais, com uma consciência ecológica aguçada e com a sensibilidade de defesa dos direitos dos animais não humanos, pedem uma reflexão teológica mais aprofundada sobre esses temas. Neste artigo propomos uma teologia que aborda a prática de Jesus. A temática da dignidade dos demais animais não precisa enfraquecer ou desvalorizar o humano; isso porque o texto da criação na Bíblia propõe um humano continuador do propósito de vida do Criador. Na prática de Jesus, podemos ver que ele, ao se entregar, se sacrifica por todos, inclusive pelos animais não humanos. Após a morte de Jesus, o Cristianismo nasce como sistema religioso, teológico e cultual que abandou o sacrifício dos animais como possibilidade cultual. Mesmo diante de equívocos teológicos que se configuraram historicamente, é possível resistir a qualquer afirmação que a tradição cristã, em sua totalidade, impôs a si como uma tradição de violência e descaso em relação aos animais não humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jerson José Darif Palhano

Mestre em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR - Brasil.

Mário Antonio Sanches, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST/IEPG), São Leopoldo, pós-doutor em Bioética pela Universidad Pontificia Comillas, Madrid, com bolsa da Capes/Fundação Carolina, professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR .

Referências

BARTH, K. Dádiva e louvor. São Leopoldo: Sinodal, 1986.

BOFF, L. Jesus Cristo libertador: ensaio de cristologia crítica para o nosso tempo Petrópolis: Vozes, 1972.

BOFF, L. Ética da vida. 2. ed. Brasília: Letraviva, 2000.

BULTMANN, R. Teologia do Novo Testamento. Santo André: Academia Cristã, 2008.

CULLMAN, O. Cristologia do Novo Testamento. São Paulo: Líber. 2001.

DOOD, C. H. A interpretação do quarto Evangelho. São Paulo: Paulinas, 1977.

FERRARO, B. Cristologia em tempos de ídolos e sacrifícios. São Paulo: Paulinas, 1993.

HAIGHT, R. Jesus, símbolo de Deus. São Paulo: Paulinas, 2003.

JEREMIAS, J. Jerusalém no tempo de Jesus. São Paulo: Paulinas, 1983.

LINZEY, A. Animal theology. Illinois: University of Illinois Press, 1995. doi:10.1177/0040571X9509800330.

MOLTMANN, J. Paixão pela vida. São Paulo: Aste, 1978.

MOLTMANN, J. O caminho de Jesus Cristo – cristologia em dimensões messiânicas. São Paulo: Academia Cristã, 2009.

MYERS, C. O Evangelho de São Marcos. São Paulo: Paulinas, 1992.

PIKAZA, X. A figura de Jesus. Petrópolis: Vozes, 1995.

QUEIRUGA, A. T. Repensar a revelação: a revelação divina na realização humana. São Paulo: Paulinas, 2010.

ROLSTON III, H. Genes, genesis and God: values and their origins in natural and human history. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. doi:10.1017/ CBO9781139173261.

RUSE, M. The evolution wars: a guide to the debates. Oxford: ABC-CLIO, 2000.

SANCHES, M. A. Bioética, ciência e transcendência. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

SANCHES, M. A. A criação e o Cristo: reflexões no âmbito da biologia e teologia. In: OLIVEIRA, P. E. de; TESCAROLO, R. (Org). Ensaios sobre ciência e fé. Revista do Círculo de Estudos Bandeirantes, p. 157-191, 2012.

SAULNIER, C.; ROLLAND, B. A Palestina no tempo de Jesus. Petrópolis: Vozes, 1988.

SCHIMIDT, F. O pensamento do templo: de Jerusalém a Qumran. São Paulo: Loyola, 1998.

TILLICH, P. História do pensamento cristão. São Paulo: Aste, 1988.

VOLKMANN, M. Jesus e o templo. São Leopoldo: Sinodal, 1992.

Downloads

Publicado

2013-10-24

Como Citar

Palhano, J. J. D., & Sanches, M. A. (2013). Teologia da compaixão com os animais: a prática de Jesus. Revista Pistis Praxis, 5(1), 169–184. https://doi.org/10.7213/revistapistispraxis.7679

Edição

Seção

Dossiê