O distanciamento do modelo pastoral do Vaticano II e da tradição libertadora

Agenor Brighenti

Resumo


Dados de quatro questões do instrumento aplicado na pesquisa de campo em busca do perfil dos “padres novos” no Brasil estão em análise: ações do modelo de pastoral dos “padres das décadas de 1970/80” que já não respondem às necessidades de hoje; ações deste modelo que continuam válidas; as maiores lacunas ou vazios na ação pastoral na atualidade; e como a ação da Igreja tem contribuído para uma sociedade mais justa e fraterna. Em um primeiro momento, faz-se uma apresentação sucinta dos dados levantados junto a padres, leigos/as, jovens, seminaristas e religiosas de duas perspectivas teológico-pastorais. Em seguida faz-se uma análise preliminar dos resultados, constatando o distanciamento da Igreja no Brasil do modelo pastoral do Vaticano II e da tradição libertadora da Igreja na América Latina. A razão aludida é o impacto sobre a pastoral da crise do projeto civilizacional moderno e a reação de medo e busca de segurança por parte segmentos da Igreja, que leva a fazer do passado um refúgio e a resgatar modelos de pastoral que a renovação conciliar havia superado.


Palavras-chave


Pastoral. Presbíteros. Vaticano II. Tradição libertadora. Crise da modernidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.03.DS05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.