Teologia da Veste e os dispositivos de poder: notas sobre a relação nudez - veste

Autores

  • Mariana Pfister Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)
  • Glauco Barsalini Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)

DOI:

https://doi.org/10.7213/2175-1838.12.003.AO05

Palavras-chave:

Oikonomia. Ofício. Inoperosidade. Nudez.

Resumo

A relação do ser humano com o vestuário ultrapassa, segundo o teólogo católico Erik
Peterson, as questões morais, uma vez que se dá primeiramente no campo metafísico —
teológico, após a queda do pecado original. A queda da natureza humana pelo pecado
revelou a nudez, o despojamento do vestuário sobrenatural da glória. Esta afirmação do
teólogo incitou o filósofo contemporâneo Giorgio Agamben, em seu ensaio sobre a Nudez,
a pensar na relação nudez-veste como um dos mais antigos e poderosos dispositivos de
poder na cultura ocidental. Nesse artigo, apresentaremos os meandros desta teologia da
veste relacionando-a a outros conceitos analisados pelo filósofo como oikonomia trinitária,
officium e inoperosidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Pfister, Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)

Mestranda em Ciências da Religião pela PUC - Campinas, bolsista FAPESP (Processo no. 2017/12524-5) orientada pelo Prof. Dr. Glauco Barsalini. Realizou estágio no Departamento de Teologia da Loyola University Chicago (FAPESP Processo no. 2018/06711-0), sob a supervisão do Prof. Dr. Colby Dickinson. Bacharel e licenciada em Ciências Sociais pelo PUC- CAMPINAS, foi bolsista CNPq por três vezes atuando na área de sociologia da educação com a temática: rankings universitários. Premiada pela mesma universidade pelo desenvolvimento do plano de Trabalho 2014-2015 de Iniciação Científica Rankings Acadêmicos do setor privado no Brasil: O Ranking da Revista Época. Trabalho de conclusão curso também premiado pela Puc-Campinas, na área de sociologia com o tema: "A dissimulada democracia: estado de exceção como paradigma de governo na política contemporânea". A partir deste trabalho, inicia pesquisa do chamado Projeto Homo Sacer, do pensador Giorgio Agamben. Na dissertação de mestrado, dando sequência à pesquisa do Projeto Homo Sacer do referido autor, investiga as obras voltadas para o campo da teologia política. A pesquisa atual tem como título "Oikonomia trinitária na obra de Giorgio Agamben: entre O reino e a Glória, Opus Dei e Altíssima Pobreza". Membro do grupo de pesquisa Ética, Política e Religião: questões de fundamentação, na mesma Universidade.

Glauco Barsalini, Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)

Professor Pesquisador do Programa de Mestrado em Ciências da Religião e da Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Membro, desde agosto de 2018, do Conselho Científico da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião (ANPTECRE). Pós-doutor em Teologia na Loyola University Chicago (01/02/2019 a 31/05/2019 - Processo FAPESP no. 2018/05408-1), doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2011), mestre em Multimeios pela UNICAMP (2001), bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela UNICAMP (1995; 1997), bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC-Campinas (2002). Sua trajetória acadêmica tem se pautado por estudos e reflexões a respeito do poder social e de suas relações com o poder do Estado. Nesse diapasão, cultura e identidade cultural, poder coletivo e poderes estatal e jurídico, direitos humanos e o problema da exclusão social têm se conformado como as principais chaves de suas reflexões. Atualmente estuda as relações entre a teologia e a política na contemporaneidade.

 

Referências

AGAMBEN, G. Altíssima Pobreza. São Paulo: Boitempo, 2014.

AGAMBEN, G. O Reino e a Glória. São Paulo: Boitempo, 2011.

AGAMBEN, G. Nudez. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

AGAMBEN, G. O que é o Contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

AGAMBEN, G. Opus Dei: arqueologia do ofício. São Paulo: Boitempo, 2013.

AGAMBEN, G. Homo Sacer: O poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Editora

UFMG, 2004.

A BÍBLIA Sagrada: Antigo e Novo Testamento. Trad. João Ferreira de Almeida. Ed. rev.

atual. no Brasil. Brasília: Sociedade Bíblia do Brasil, 1969.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. São Paulo: Loyola, 2000.

DE MORI, G. L.; CAIXETA, D. M. Considerações teológico-políticas sobre nudez,

desnudamento e vida nua em Giorgio Agamben. Rever, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 97-113,

jan./abr. 2020.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. 8ª. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1989.

NIETZSCHE, F. Genealogia da Moral. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PETERSON, E. Teologia do Vestuário. A Ordem, Rio de Janeiro, v. XXIV, p. 463-471,

jul./dez. 1940.

PFISTER, M. Oikonomia trinitária na obra de Giorgio Agamben: entre O reino e a glória,

Opus dei e Altíssima pobreza. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) —

Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2019.

SCHMITT, C. S. Teologia Política. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.

TEIXEIRA, E. T. O dispositivo da veste e a censura entre ser e práxis: pensando um

poder não fazer. Cadernos de Ética e Filosofia Política, n. 30, p. 52-74, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

Pfister, M., & Barsalini, G. (2020). Teologia da Veste e os dispositivos de poder: notas sobre a relação nudez - veste. Revista Pistis Praxis, 12(3). https://doi.org/10.7213/2175-1838.12.003.AO05