O CONCEITO DE PESSOA HUMANA DA BIOÉTICA PERSONALISTA (PERSONALISMO ONTOLOGICA- MENTE FUNDADO)

Autores

  • Dalton Luiz de Paula Ramos
  • Maria Carolina Lucato

DOI:

https://doi.org/10.7213/pp.v2i1.13505

Palavras-chave:

Bioética, Bioética personalista, Personalismo ontologicamente fundado, Pessoa humana, Início da vida.

Resumo

A bioética é uma ciência que surgiu no início da década de 1970, nos Estados Unidos, com objetivo de criar uma “ponte” entre a ciência biológica e a área dos valores. No Brasil, a bioética chega, efetivamente, em 1995, a partir da fundação da Sociedade Brasileira de Bioética e da promulgação da Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, que regulamenta a pesquisa com seres humanos no país. A bioética possui vários modelos e dentre eles está o Personalismo Ontologicamente Fundado, criado por Elio Sgreccia. Essa linha de pensamento se funda na pessoa humana, ou seja, a pessoa deve ser o critério de avaliação frente a um dilema bioético. Toda pessoa humana é unitotalidade, dotada de uma dignidade. Ela é formada pelas dimensões física, psíquica, social, moral e espiritual. Esse modelo considera que toda vida humana tem início com a fecundação e fim com a morte natural. No presente trabalho, procurou-se demonstrar o conceito de pessoa em relação ao início da vida humana na perspectiva da bioética personalista. É preciso fazer com que a comunidade bioética brasileira conheça esse conceito de pessoa humana, tendo como critério de juízo a própria realidade, e utilize sua experiência de “pessoa” nos momentos em que seja necessário decidir sobre as intervenções que se faz sobre a vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalton Luiz de Paula Ramos

Cirurgião-dentista, professor livre-docente na Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP), membro da Pontifícia Academia para a Vida, do Vaticano, São Paulo, SP Brasil.

Maria Carolina Lucato

Cirurgiã-dentista; Mestre e Doutoranda em Ciências Odontológicas, com área de concentração em Odontologia Social, pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, com estágio de Doutorado no Istituto di Bioetica da Università Cattolica Del Sacro Cuore Roma, Curitiba, PR - Brasil

Referências

AZEVEDO, E. S. Aborto: biologia e ética. Rev Med PUCRS, v. 8, n. 3, p. 114-122, 1998.

BERTI, E. et al. Persona e personalismo. Padova: Gregorina Libraria Editrice, 1992.

BRASIL. Lei n. 11.105, de 24 de março de 2005. Regulamenta os Incisos II, IV e V do parágrafo 1 do artigo 225 da constituição federal, estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam organismos geneticamente modificados – OGM e seus derivados, cria o Conselho Nacional de Biossegurança – CNBS, reestrutura a comissão tecnica nacional de biossegurança – CTNBIO, dispõe sobre a politica nacional de biossegurança – PNB, revoga a Lei 8.974, de 5 de janeiro de 1995, e a medida provisória 2.191-9, de 23 de agosto de 2001, e os artigos 5, 6, 7, 8, 9, 10 e 16 da lei 10.814, de 15 de dezembro de 2003, e dá outras providencias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 mar. 2005. p. 1, 2005. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/sicon/Lista Referencias.action?codigoBase=2&codigoDocumento=250537>. Acesso em: 15 set. 2009.

FRATTALLONE, R. Persona. In: LEONE S.; PRINITERA, S. Nuovo dizionario di bioetica. Roma: Città Nuova Editrice, 2004. p. 856-863.

PALAZANNI, L. Il concetto di persona umana tra bioética e diritto. Torino: Giapichelli, 1996.

______. La fundamentación personalista en bioetica. Cuadernos de Bioética, v. 14, n. 2, p. 48-54, 1993.

PAULA, I. C. Il concetto di persona e la sua rilevanza assiologica: i principi della bioetica personalista. Medicina e Morale, n. 2, p. 265-278, 2004.

POSSENTI, V. Il principio-persona. Roma: Armando, 2006.

RAMOS, D. L. P. Fundamentos e princípios da bioética. Notandum, v. 9, 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2008.

RAMOS, D. L. P.; SILVA, M. M. P.; CALDATO, M. C. F. A pessoa e a vida humana: um fundamento para a bioética. In: RAMOS, D. L. P. Bioética, pessoa e vida. São Caetano do Sul: Difusão, 2009. p. 39-56.

SERRA, A. Quando comincia um essere umano. In margine di un recente documento. In: SGRECCIA, E. Il dono della vita. Milano: Vita e Pensiero, 1987. p. 91-106.

SGRECCIA, E. Manual de bioética I: fundamentos e ética biomédica. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2002.

______. Manuale di bioetica I: fondamenti ed etica biomedica. Milano: Vita e Pensiero, 2007.

SUTTON, A. Ten years after Warnock Report: is the human neo-conceptus a person? Medicina e Morale, n. 3, p. 475-490, 1994.

Downloads

Publicado

2010-10-24

Como Citar

Ramos, D. L. de P., & Lucato, M. C. (2010). O CONCEITO DE PESSOA HUMANA DA BIOÉTICA PERSONALISTA (PERSONALISMO ONTOLOGICA- MENTE FUNDADO). Revista Pistis Praxis, 2(1), 57–75. https://doi.org/10.7213/pp.v2i1.13505